"La La Land" parte em busca dos cinco prêmios principais do Oscar

O filme poderia, inclusive, igualar ou superar o número histórico de 11 estatuetas douradas, marca de "Ben-Hur" (1959), "Titanic" e "O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei" (2003)

26/02/2017 16:21h

Compartilhar no

"La La Land: Cantando Estações" tem a chance de conseguir o chamado "Big Five" ("Cinco Grandes"), ou seja, quando um filme vence as cinco principais categorias do Oscar (melhor filme, ator, atriz, diretor e roteiro), uma conquista que apenas três longas conseguiram até hoje.

Ao longo da história, 43 produções foram indicadas nestas cinco categorias, mas somente "Aconteceu Naquela Noite" (1934), "Um Estranho no Ninho" (1975) e "O Silêncio dos Inocentes" (1991) conseguiram a proeza de levar essas estatuetas. Agora, o musical de Damien Chazelle, uma declaração de amor à cidade de Los Angeles, parte como o grande favorito na 89ª edição do Oscar, com 14 indicações, mesma quantidade recorde que "Titanic" (1997) e "A Malvada" (1950).

O filme poderia, inclusive, igualar ou superar o número histórico de 11 estatuetas douradas, marca de "Ben-Hur" (1959), "Titanic" e "O Senhor dos Anéis: O Retorno do Rei" (2003).

Diversidade

Dois anos depois da ausência de atores negros indicados, a festa voltará a ter forte presença deles graças à inclusão de seis intérpretes entre os 20 candidatos: Denzel Washington ("Um Limite Entre Nós"), Mahershala Ali ("Moonlight: Sob a Luz do Luar"), Ruth Negga ("Loving"), Viola Davis ("Um Limite entre Nós"), Naomie Harris ("Moonlight: Sob a Luz do Luar") e Octavia Spencer ("Estrelas Além do Tempo").

A tão aguardada diversidade estará muito bem representada na cerimônia do dia 26 através da presença de títulos como "Moonlight: Sob a Luz do Luar", "Lion - Uma Jornada Para Casa" - ambos com seis indicações -, "Um Limite Entre Nós" - com quatro -, e "Estrelas Além do Tempo" - com três -, produções que brigarão pelo Oscar de melhor filme ao lado de "La La Land", "A Chegada", "Até o Último Homem", "A Qualquer Custo" e "Manchester À Beira-Mar".

O talento dos negros estará presente também em outras categorias, como melhor diretor e melhor roteiro (Barry Jenkins, por "Moonlight: Sob a Luz do Luar") melhor fotografia (Bradford Young, por "A Chegada"), melhor edição (Joi McMillon, por "Moonlight: Sob a Luz do Luar") e melhor filme (Kimberly Steward, por "Manchester À Beira-Mar").

Young é o segundo afro-americano a ser indicado nesse campo após Remi Adefarasin por "Elizabeth", em 1988, e Joi é a primeira mulher negra a conseguir uma indicação de melhor edição no Oscar. Além disso, Kimberly é a segunda mulher produtora a obter uma candidatura após a de Oprah Winfrey em "Selma".

Há ainda mais presença afro-americana na categoria de melhor documentário, com "A 13ª Emenda", de Ava Duvernay; "Eu Não Sou Seu Negro", de Raoul Peck; "O.J.: Made in America", de Ezra Edelman (o filme mais longo da história do Oscar, com 7h47) e "Life, Animated", de Roger Ross Williams.

A Academia, além disso, pela primeira vez indicou para a categoria de melhor filme um estúdio de streaming, a gigante do comércio eletrônico Amazon, com "Manchester À Beira- Mar".

Entre outras curiosidades, o destaque vai para a 20ª indicação de Meryl Streep - recorde absoluto entre os atores - e a indicação da francesa Isabelle Huppert ("Elle"), que tentará se transformar na terceira artista estrangeira a conseguir o Oscar de melhor interpretação feminina, depois de Sophia Loren e Marion Cotillard.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: UOL

Deixe seu comentário