Piauiense é eleito um dos melhores atletas paralímpicos do ano

Luis Carlos Cardoso trocou a canoa pelo caiaque no início do ano; ele foi campeão mundial nos 200m KL1 e VL1 em Milão, na Itália.

11/12/2015 09:39h

Compartilhar no
Quando escutou seu nome, na noite da última quartafeira, o piauiense Luis Carlos Cardoso vibrou bastante. O canoísta foi eleito pelo público como um dos melhores atletas do ano e recebeu o troféu durante a cerimônia do Prêmio Paralímpicos 2015, no Rio de Janeiro. Ele foi premiado ao lado da saltadora Silvania Costa. 

“Que ano de 2015! Comecei com a incerteza de saber como seria o final, já que troquei de categoria. Passou pela minha cabeça que seria o fim do sonho de uma medalha paralímpica. Só tenho a agradecer a todos. No ano que vem, vou fazer o melhor para trazer a medalha”, disse Luis Carlos Cardoso, que trocou a canoa – fora do programa Paralímpico em 2016 – pelo caiaque no início do ano. Ele foi campeão mundial nos 200m KL1 e VL1 em Milão, na Itália. 

Os melhores esportistas de cada uma das 22 modalidades também foram premiados na cerimônia. Entre eles, a mesatenista Cátia Oliveira, que foi pega de surpresa com a notícia. “Eu fiquei um minuto sem falar, porque não acreditei. Foi uma notícia maravilhosa, fechei 2015 com chave de ouro”, disse a atleta, ouro no individual e prata na dupla no Parapan de Toronto, além de ter conquistado importantes resultados no Circuito Mundial. 

Luis Carlos Cardoso vibra com a conquista: “Que ano de 2015!” (Foto: FolhaPress)

Para o presidente do Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB), Andrew Parsons, 2015 foi o melhor ano pré-paralímpico da história. “Foi espetacular. A cereja do bolo foram os Jogos Parapan-Americanos, com 257 medalhas. Só não fomos ao pódio em uma das 15 modalidades. Fora das competições, lançamos uma série de programas novos e tivemos o aumento da arrecadação das loterias com uma nova lei aprovada, a Lei Brasileira de Inclusão”, disse, em referência à lei 13.146/15, que aumentou de 0,3% para 1% a parte que cabe ao CPB.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Aline Rodrigues
Por: Pâmella Maranhão

Deixe seu comentário