Créditos pessoais de até R$ 2.500 para negativados

Novos tipos de empréstimos e maiores facilidades para que as pessoas que estão com o nome sujo possam regularizar sua situação diante os órgãos de proteção ao crédito.

26/11/2021 15:22h

Compartilhar no

Alguns em maior medida que outros, mas todos fomos afetados pelas consequências econômicas que trouxe as medidas tomadas diante do coronavírus. Outubro foi o 11° mês consecutivo em que aumenta o percentual de famílias brasileiras que possuem dívidas. De acordo com Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor  (Peic) 74,6% das famílias entrevistadas possuem dívidas ativas e 35,8% estão inadimplentes há mais de 12 meses.

Atualmente são muitas as empresas financeiras que emprestam dinheiro  e os tipos de empréstimos que estão disponíveis. Entre todas as possibilidades de crédito que estão no mercado, os créditos consignados e os créditos com garantia são os mais convenientes para quem está negativado e precisa de capital para mudar sua situação.

Os créditos consignados estão disponíveis somente para quem trabalha com carteira assinada, seja no setor privado ou público, e para quem recebe benefícios permanentes do Instituto Nacional do Seguro Social  (INSS). O empregador assina um acordo com uma instituição financeira para que seu funcionário possa fazer um empréstimo e ter as parcelas descontadas do seu salário. 

Assim, o banco recebe o pagamento antes que o dinheiro seja depositado na conta do cliente. O empregado recebe o restante do seu pagamento na sua conta. Por exemplo, se o salário é de R$ 1.500 e o crédito foi feito em 18 parcelas de R$ 250, durante 18 meses o salário depositado na conta será de R$ 1.250.

Como todas as opções de crédito, esta tem suas vantagens e desvantagens. Quem faz um crédito consignado tem que se acostumar a ver a redução do salário que recebe e a revisar sua folha de pagamento para verificar que os descontos foram feitos corretamente. 

A grande vantagem do consignado para quem está com o nome sujo é que não se faz consultas nos órgãos de proteção ao crédito, como o SPC ou a Serasa. O que é requerido é que o cliente tenha margem de consignação, que é de aproximadamente 35% do salário. Com o salário do exemplo anterior, um trabalhador pode pagar prestações de um empréstimo de até R$ 525. Considerando isto, com um contrato de parcelas de R$ 250 o cliente pode fazer novos créditos, pois lhe resta R$ 275 de margem. 

Ao contrário desta modalidade de crédito, os empréstimos com garantia sim fazem a análise de crédito e consideram se o cliente está inadimplente ou não, e sua capacidade de pagamento de acordo com o salário que comprova.

Os empréstimos mais comuns no mercado são feitos com imóveis ou veículos, principalmente carros de até 5 anos de fabricação, quitados e sem dívidas ativas no momento de fazer a operação. Cada financeira ou banco determina suas próprias condições para liberar o empréstimo. 

Em muitos casos existe uma inspeção para verificar o estado e o valor do bem que é entregue como garantia e que os documentos sejam válidos, isso pode demorar alguns dias, por isso não é uma boa opção para quem precisa de dinheiro urgente, mas sim para quem precisa de um capital importante. Pois é possível conseguir entre 60% e 90% do valor do veículo ou até 80% do valor do imóvel que se entrega como garantia.


O empréstimo mais rápido para quem está negativado

Hoje em dia é possível fazer empréstimos usando o celular como garantia. Ideal para quem não precisa de um capital tão grande, pois os créditos deste tipo liberam desde R$ 500 até R$ 2.500. Qualquer pessoa que tenha um celular com o sistema operacional Android pode solicitar um empréstimo usando como garantia o celular no Serasa eCred e devolver em até 12 parcelas.

Como qualquer empréstimo com garantia, você continua usando seu telefone sem problemas depois de fazer o crédito. A solicitação é totalmente on-line no site do Serasa eCred. O cliente faz a simulação indicando quanto dinheiro precisa e solicita a análise de crédito se estiver de acordo com os termos de contratação. Depois acompanha o resultado pelo aplicativo da SuperSim, onde deve continuar o procedimento para obter o dinheiro.

Para fazer este empréstimo o cliente deve comprovar sua renda mensal, item muito importante para determinar se a quantia solicitada pode ser liberada, pois não é possível comprometer mais de 30% da renda. Por exemplo, quem ganha R$ 1.500 pode fazer parcelas de até R$ 450, isto é um empréstimo de R$ 2500 em 6 parcelas aproximadamente. 

O cliente continua usando o celular como sempre, mas se atrasar o pagamento das parcelas terá seu aparelho bloqueado, somente poderá usá-lo para fazer ligações de emergência até que regularize o pagamento com a SuperSim.

Antes de tomar qualquer empréstimo é importante considerar que é uma nova dívida, portanto, se vale a pena fazê-lo. Isto é, se os juros do empréstimo solicitado são menores que os cobrados na dívida atual, se o prazo de pagamento realmente não causa inconvenientes no orçamento familiar. Tudo isso, depois de avaliar os recortes de gastos possíveis, pelo menos até quitar a dívida. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário