Imposto de Renda 2020: Quase 8 mil piauienses já caíram na malha fina

Entre os erros mais comuns dos contribuintes do estado está a omissão das fontes de renda ou informação de valores incorretos

01/07/2020 16:10h - Atualizado em 02/07/2020 09:12h

Compartilhar no

Um total de 7.972 declarações do Imposto de Renda de Pessoa Física (IRPF) referentes ao ano-base 2019 já caíram na  manha fina este ano em todo o estado do Piauí, apontam dados divulgados pela  Receita Federal nesta quarta-feira (01/07).  A malha fina acontece quando são identificadas inconsistências nas informações apresentadas pelo contribuinte.

No ano passado, 6.879 caíram na malha fina fiscal no Piauí. A Receita Federal levantou que entre os erros mais comuns dos contribuintes do estado está a omissão das fontes de renda ou informação de valores incorretos; e gastos com saúde declarados com erros.

Segundo a Receita Federal, uma vez detectada alguma inconsistência, o contribuinte deve corrigir as informações ou pode ser multado pelo fisco. Para acompanhar a situação da sua declaração, o órgão do Ministério da Economia disponibiliza um endereço eletrônico para o monitoramento. Acesse o Portal e-CAC  no site da Receita Federal  na opção Declarações/Demonstrativos/Processamento.

Foto: Divulgação

Meta atingida

A Receita Federal informou que a meta estabelecida para a  declaração do IRPF no Piauí foi atingida até às 23h59 dessa terça-feira (30/06), prazo final para o envio. Ao todo, 255.304 documentos foram enviados à Receita Federal no estado. Esse número representa um acréscimo de 3,25% em relação a quantidade do ano passado, quando foram contabilizadas 247.259 declarações.

No Brasil, a meta de 32 milhões envios não foi alcançada e terminou em 31.980.151. Mesmo assim o número representou um aumento de 4,2% em comparação com a quantidade do ano passado. Quem não prestou as informações até ontem, está sujeito a multa mínima de R$ 165,74, mas que pode chegar a 20% do imposto devido. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Otávio Neto

Deixe seu comentário