Parnaíba: morre sargento da PM baleado durante briga de trânsito

Na última segunda-feira (02), dois policiais trocaram tiros em frente ao cemitério da cidade. Marcos Sérgio foi baleado com, pelo menos, cinco tiros

06/11/2020 09:01h - Atualizado em 06/11/2020 09:22h

Compartilhar no

O sargento da Polícia Militar, Marcos Sérgio (49), morreu na noite de ontem (05) na cidade de ParnaíbaEle foi baleado com, pelo menos, cinco tiros na última segunda-feira (02) após se envolver em uma briga de trânsito com outro policial. O militar, que era lotado no 1ª Companhia do 2º BPM de Parnaíba, chegou a ser socorrido e operado, mas não resistiu aos ferimentos.

O tenente coronel Antônio Pacífico, comandante do 2º Batalhão da Polícia Militar, na cidade de Parnaíba, lamentou a morte do sargento Marcos Sérgio. “Ele passou por cirurgia, estava reagindo, mas infelizmente não aguentou, pois era um estado clínico muito delicado”, contou.

A Associação Beneficente dos Cabos e Soldados da Polícia Militar e Bombeiro Militar do Piauí (ABECS) lamentou a morte do policial.

O velório de Marcos Sérgio está marcado para às 15h, no Cemitério São Sebastião, na cidade de Parnaíba.

Entenda o caso

Na última segunda-feira (02), feriado de Dia de Finados, dois policiais trocaram tiros em frente ao Cemitério São Sebastião, na cidade de Parnaíba, litoral do Piauí. Na discussão, o sargento Marcos Sérgio, lotado no 2º BPM, foi atingido com, pelo menos, cinco tiros. Os disparos foram desferidos por um policial reformado do Estado de Goiás, que foi atingido com dois tiros no braço.

Sargento Marcos Sérgio ficou gravemente ferido (Fotos: Reprodução/Tribuna de Parnaíba)

Em estado grave, o sargento piauiense chegou a ser socorrido e levado ao Hospital Regional Dirceu Arcoverde, onde passou por cirurgia. O policial reformado também foi encaminhado ao hospital para atendimento médico.

As armas dos policiais foram apreendidas e a polícia foi acionada para apurar a motivação da discussão.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário