Franzé diz que negacionistas não irão impedir passaporte sanitário no Piauí

O projeto determina que estabelecimentos e eventos realizados no Estado exijam comprovantes de vacinação contra a Covid-19 para permitir o acesso do público

05/10/2021 08:19h

Compartilhar no

O deputado Franzé Silva (PT) voltou a defender o seu projeto de “passaporte sanitário” em tramitação na Assembleia Legislativa do Piauí. O Projeto de Lei Nº 132/2021 determina que estabelecimentos e eventos realizados no Estado exijam comprovantes de vacinação contra a Covid-19 para permitir o acesso do público. A medida é muito criticada por pessoas que são contra a vacinação, no Brasil um grupo de pessoas reafirmam que não irão se vacinar e consideram a imunização um experimento social, o próprio Presidente da República, Jair Bolsonaro, é contra a imunização obrigatória.

Franzé citou exemplos de implantação do passaporte sanitário no Brasil e no mundo e rebateu críticas de quem chamou de “negacionistas”, pessoas contrárias a vacina. 

“É uma decisão que está sendo tomada no mundo inteiro, recentemente estive em São Paulo e tive a oportunidade de participar de um espetáculo e fui exigido que apresentasse o meu cartão de vacina atualizado. A Europa está fazendo e o Brasil precisa fazer, temos que ter o controle de sair dessa pandemia com segurança, não podemos ficar presos a negacionistas que teimam em não se vacinar, podendo reinfectar muita gente e levar pessoas a morte. É uma medida de segurança, a exemplo da nossa lei o governador Wellington Dias colocou no seu decreto, e outros governadores estão colocando, é uma questão de segurança sanitária”, argumentou Franzé Silva.

O deputado negou ainda que o projeto seja discriminatório e reforçou que a medida não criará cidadãos de “segunda classe” no Piauí. Para o deputado a prioridade será criar uma maior segurança sanitária. 

“Não existe um cidadão de segunda classe, agora não podemos colocar em risco a vida das pessoas, se eles consideram que a vacina é ineficaz eles não podem de forma nenhuma colocar em risco as pessoas que consideram a importância da segurança sanitária”, finalizou o parlamentar.


Foto: Tarcio Cruz/ODia

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário