Psol escolhe novo dirigente no Piauí e define Boulos para o governo de São Paulo

O novo presidente será o advogado Emerson Sammuel, nos próximos meses a sigla definirá quem será o candidato ao palácio de Karnak

13/09/2021 08:43h - Atualizado em 13/09/2021 10:27h

Compartilhar no

O Partido Socialismo e Liberdade (PSOL) definiu no último final de semana o seu presidente no Piauí. A decisão foi tomada durante o congresso estadual “Osmarina Moura” realizado no sábado (11) e domingo (12). O novo dirigente da sigla será o advogado Emerson Sammuel, nos próximos meses a sigla definirá quem será o candidato ao palácio de Karnak. Em São Paulo o partido já definiu que Guilherme Boulos será candidato ao governo.

De acordo com informações do partido Sammuel é advogado e é defensor de direitos humanos. Ele trabalhou na Assessoria Técnica Independente das famílias atingidas pelo Rompimento da Barragem Córrego do Feijão de Brumadinho e foi assessor jurídico da Comissão Pastoral da Terra do Piauí. O PSOL se coloca no campo de oposição ao governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido). O advogado foi candidato a deputado estadual no Piauí em 2018.  


FOTO: PSOL/Divulgação

Boulos

Segundo colocado na disputa à Prefeitura de São Paulo no ano passado, Guilherme Boulos teve sua pré-candidatura aprovada em congresso estadual do PSOL neste domingo, 12, para concorrer ao governo paulista nas eleições de 2022.

O psolista está no centro da articulação política de apoio ao PT nas eleições do ano que vem, embora uma ala da sigla ainda seja reticente em não ter candidato próprio no primeiro turno da corrida presidencial para estabelecer uma aliança em torno da eventual candidatura do ex-presidente Lula. O deputado federal Marcelo Freixo (PSB) deixou o PSOL para construir mais facilmente um acordo nacional entre os petistas e setores progressistas.

A pré-candidatura de Boulos em São Paulo, porém, deverá ser discutida com o PT, que estuda lançar o ex-prefeito Fernando Haddad no pleito pelo Palácio dos Bandeirantes. Após ser eleito pelo diretório estadual, Boulos mencionou a importância de construir uma unidade de forças progressistas de esquerda para fazer frente tanto a Bolsonaro no plano nacional quanto aos tucanos na esfera estadual. O PSDB governa São Paulo há 26 anos, ininterruptamente, com exceções de vice-governadores que assumiram o mandato para que Geraldo Alckmin (PSDB) disputasse a Presidência.


Compartilhar no
Fonte: Com informações Estadão Conteúdo

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário