Teresina: 90% dos grupos de lanceiros são formados por mulheres, aponta delegado

As vítimas favoritas das ‘lanceiras’ são idosos desacompanhados, gestantes e pessoas com criança de colo

15/09/2021 09:05h - Atualizado em 15/09/2021 09:17h

Compartilhar no

Quem anda pelo Centro de Teresina, sabe que é preciso ficar atento para possíveis furtos que possam ocorrer. Isso porque, em locais de muito movimento, especialmente nas paradas e estações de ônibus, as pessoas são vítimas das quadrilhas de ‘lanceiros’, como são chamados homens e mulheres que praticam furtos sem uso da violência. 

Furtos são recorrentes nas paradas de ônibus (Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Na Praça da Bandeira, localizada na zona Sul de Teresina, muitos bens já foram furtados, principalmente no momento em que as pessoas estão aglomeradas para entrar nos ônibus. De acordo com o delegado Sérgio Alencar, do 1º Distrito Policial, em média, são registrados 20 boletins de ocorrência por mês.

O delegado afirma que apesar de existir a participação de homens, cerca de 90% dos grupos de ‘lanceiros’ são formados por mulheres que residem em Timon, no estado do Maranhão, a 5,1 km de Teresina. “Dessas quadrilhas que praticam furtos aqui no Centro, 90% são mulheres e a maioria vem de Timon”, explica.

Delegado Sérgio Alencar (Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Sérgio Alencar pontua ainda que boa parte dessas pessoas já têm passagem pela polícia, com identificação de endereço e foto. Todavia, não passam muito tempo presas e voltam novamente às ruas.

"No geral, essas pessoas já são cadastradas na polícia, todas já foram presas no mínimo duas vezes, porém, por motivos alheios, passam pouco tempo na prisão. Todas elas são cadastradas, temos endereço, foto e ficha criminal”, comenta.

Segundo o 1º DP, a justiça considera que os crimes praticados pelas quadrilhas não fazem uso de força ou violência, nem utilizam armas de fogo. Por conta disso, logo essas pessoas são soltas. 

Dicas de segurança

O delegado Sérgio Alencar ressalta que as pessoas não devem ficar distraídas em locais públicos, especialmente no Centro de Teresina, pois correm sérios riscos de serem vítimas de furtos. É importante não andar com o celular na mão ou outros objetos de valor à mostra. 

Idosos são uma das vitimas favoritas das 'lanceiras' (Foto: Assis Fernandes/O DIA)

Além disso, o delegado destaca ainda que os grupos gostam de agir dentro dos bancos e que procuram as pessoas mais vulneráveis para furtar. As vítimas favoritas das ‘lanceiras’ são idosos desacompanhados, gestantes e pessoas com criança de colo. 

“A dica é você não andar expondo pertences e não aceitar ajuda de estranhos nos bancos. Idosos devem evitar ir ao centro sozinhos. Normalmente, elas observam o perfil da vítima e procuram aquelas mais vulneráveis”, esclarece. 

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário