Com balão da Zequinha Freire interditado, condutores reclamam de vias alternativas

Segundo a população, essas ruas estão tomadas por buracos que têm causado transtornos

26/01/2022 09:26h - Atualizado em 26/01/2022 09:53h

Compartilhar no

Com o balão da Avenida Zequinha Freire interditado para a obra de rebaixamento da Avenida João XXIII, na zona Leste de Teresina, muitos condutores precisam utilizar vias alternativas para se deslocar pela cidade. O problema é que boa parte dessas ruas estão tomadas por buracos que têm causado transtornos e, em alguns casos, prejuízos para motoristas e motociclistas

E antes de chegar ao destino final, outro problema tem atrapalhado a vida dos condutores: a falta de retornos. Isso porque quem precisa passar pelo balão, em direção à zona Leste da cidade, tem que percorrer 2 km para acessar a Avenida Zequinha Freire ou Avenida Dom Hélder Câmara, onde a situação é crítica. 


 Avenida Dom Hélder Câmara. Fotos: Assis Fernandes/ODIA 


Na Dom Hélder Câmara, que teve o movimento de carros e motos dobrado por causa da interdição, é fácil encontrar buracos grandes e que causam muitos transtornos. Em um trecho, os veículos só usam um lado da avenida para transitar. A falta de conservação da via compromete a sua trafegabilidade. Além disso, a lama faz com que a cobertura asfáltica desapareça em diversos pontos


“Todos os dias eu passo por aqui, tanto pela manhã como pela tarde. Eu moro no Dirceu e trabalho no Vale do Gavião. Há muitos anos que existe essa pendência e o poder público só promete fazer. Muitos acidentes já aconteceram por causa das péssimas condições desta avenida”, disse Raimundo Coutinho. 


“É uma bagunça total. Já perdi dois pneus por causa dos buracos, prejuízos que ninguém se responsabilizou. Para eu chegar na Santa Bárbara preciso acessar essa via, já que venho da Zona Sudeste”, disse o caminhoneiro João Sousa. 

Quem se desloca para a Zona Sudeste precisa trafegar pela Avenida Professor Camilo Filho, onde também há muita circulação de veículos. Por lá, foi possível encontrar alguns locais com recapeamento do asfalto feito recentemente, mas também alguns buracos que ainda são motivo de preocupação


Dona Rosa Maria mora em frente a um desses buracos e conta que acidentes foram registrados recentemente no local por causa do problema que se intensifica no período chuvoso. 

“O poder público cobre os buracos, mas eles abrem com a chuvas. Têm buracos em diversos trechos da via e, inclusive, vários condutores já tiveram os pneus de seus veículos furtados. Tirando também os acidentes que já aconteceram. É um serviço mal feito que todos os anos é realizado pela prefeitura”, conta. 

Ainda segundo a moradora, a falta de iluminação contribui para o aumento da criminalidade. “Quando dá 19h, ninguém quer passar por aqui com medo de ter seu carro ou moto levado pelos criminosos. Agora que o movimento aumentou por causa do balão, pode ser que a prefeitura faça alguma coisa. Esse não é um problema recente, vem de anos”, relata. 

Outro lado 

Procurada pela reportagem, a Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas Leste (Saad Leste) informou que o órgão irá iniciar o trabalho no sistema de drenagem da Avenida Dom Hélder Câmara para recuperar o pavimento asfáltico. A Saad Leste disse ainda que foram feitas limpezas no local para minimizar os transtornos aos condutores. O órgão, no entanto, não deu prazo para o início dos trabalhos

Já a Superintendência das Ações Administrativas Descentralizadas Sudeste (Saad Sudeste) informou que repassou as demandas para os setores responsáveis, onde solicitou que seja feita uma vistoria imediata para o problema da iluminação do local, e também informou à Eturb para que sejam resolvidas as falhas no asfalto. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário