Em três meses, Semcaspi registrou 45 casos de abuso sexual de crianças e adolescentes

Os números apontam um aumento de 55% desse tipo de denúncia em relação ao mesmo período de 2021.

09/06/2022 12:14h

Compartilhar no

Somente nos três primeiros meses deste ano, a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) registrou 45 denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes na Capital. Os números apontam um aumento de 55% desse tipo de denúncia em relação ao mesmo período de 2021, quando 29 casos foram notificados.  


Leia também: Jornalista Alcide Filho alegou interesse em adotar adolescente vítima de estupro 

Os dados da Gerência de Direitos Humanos da Semcaspi (GDH) revelam ainda que, no primeiro trimestre deste ano, o abuso sexual ficou em quarto lugar no ranking das violações de direitos humanos, perdendo apenas para Negligência, com 212 casos; Privação de acesso ao Serviço Público, com 59; e Violência Física, com 47. De janeiro a dezembro de 2021, foram 185 denúncias de abuso sexual infanto-juvenil para a rede de proteção municipal.

Em Teresina, as denúncias podem ser feitas nos conselhos tutelares de cada região (veja os telefones ao final desta matéria), além da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), localizada na Rua Dr. Otto Tito, número 327, bairro Redenção, ao lado do HUT. O Disque 100 também é outra forma de denunciar.

Foto: Márcia Gabriele/Semcaspi

De acordo com o Allan Cavalcante, secretário da Semcaspi, a rede de proteção atua para evitar as ocorrências, informando e conscientizando os públicos, mas também quando o direito da criança já foi violado.

“Nossas crianças e adolescentes precisam deste olhar atento em prol de proteção. A Semcaspi, em todas as unidades, seja CRAS, Centros de Convivência, Casas de Acolhimento, Centro-Dia, CREAS, e com os mais diversos públicos, tem trabalhado temáticas que esclarecem sobre direitos e deveres. Todos os meses desenvolvemos ações envolvendo uma temática, informando aos nossos públicos, inclusive, sobre as formas de denunciar as violações. A formalização das denúncias é importante para evitar a subnotificação de casos e muito mais que isso, proteger crianças e adolescentes, que já estão em situação de violação”, ressaltou.

Segundo Eduardo Aguiar, secretário executivo da Semcaspi, além de trabalhar as temáticas com os públicos, a Semcaspi atua no recebimento destas denúncias, principalmente, com os conselhos tutelares e CREAS.

“Nos CRAS, com seus serviços oferecidos, atuamos na prevenção, com informações e empoderamento dos nossos assistidos, já nos Conselhos Tutelares e nos CREAS recebemos as denúncias, quando a violação aconteceu. Os serviços dessa rede de proteção da Semcaspi, seja da Assistência Social ou das Políticas Integradas, se conectam diante das ocorrências e de seus encaminhamentos necessários. Os públicos assistidos são acompanhados com: a proteção social básica, atendimentos que direcionam aos serviços e programas sociais, e com a proteção social especial, que requer um atendimento mais intensificado e de acolhimento nas nossas unidades”, explicou.

Atualmente, Teresina conta com cinco conselhos tutelares e a meta é criar mais duas unidades nas zonas Leste e Sul.

FORMAS DE DENÚNCIA

I Conselho Tutelar (Zona Centro/Norte) - 3215-9313/99490-7886

II Conselho Tutelar (Zona Sudeste) - 3215-9360/99460-3138

III Conselho Tutelar (Zona Sul) - 3227-6714/99454-2102

IV Conselho Tutelar (Zona Leste) - 3233-8841/99470-0654

V Conselho Tutelar (Zona Norte) - 99404-1192

DPCA -  (86) 3216-2676

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário