Barras

Vídeo: Temporal alaga casas e causa prejuízos em Barras; previsão é de mais chuva

Postos de combustível e uma quadra esportiva tiveram suas coberturas arrancadas pela força do vento. Chuva atrapalhou os festejos da cidade.

30/11/2022 09:00h - Atualizado em 30/11/2022 09:53h

Compartilhar no

O forte temporal que caiu na noite desta terça-feira (29) na cidade de Barras, no Norte do Piauí, deixou um rastro de destruição. Postos de combustíveis foram inundados e tiveram suas coberturas arrancadas pela força do vento, uma quadra esportiva também sofreu danos em sua estrutura e várias casas foram invadidas pela água.

Imagens feitas pelos moradores de Barras mostram residências alagadas e os estragos causados na cidade. O bairro Santinho foi um dos mais afetados. Um posto de combustível localizado no conjunto teve sua cobertura arrancada pela força do vento. A água invadiu o restaurante do estabelecimento e fios elétricos se desprenderam dos postes em razão do vendaval. 


Foto: Reprodução/Whatsapp

A quadra esportiva que fica localizada no bairro Santinho também sofreu danos e teve parte de sua cobertura levada durante o temporal. Já próximo à rodoviária da cidade, outro posto de gasolina teve danos em sua estrutura devido ao vendaval: a cobertura do local também foi arrancada com a força do vento e o estabelecimento foi invadido pela água. Apesar do susto, não há registro de feridos.


Foto: Reprodução/Whatsapp

A forte chuva atrapalhou a realização dos festejos de Nossa Senhora da Conceição, que acontecia na noite de ontem (29) em Barras. A orientação da Defesa Civil Municipal é de que os moradores evitassem sair de casa. Vale lembrar que Barras estava na área de alerta laranja do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet), ou seja, havia chuva intensa prevista para cair na região com forte risco de queda de energia, ventanias e alagamentos.

A Prefeitura de Barras ainda não divulgou se há desabrigados.

Rio Pedrinhas subiu 22 centímetros em 24 horas

 A chuva que caiu em Barras nas últimas 24 horas fez o nível do Rio Pedrinhas subir 22 centímetros. Na manhã de ontem (29), as águas do rio estavam a 2,25 metros. Nesta quarta (30), o Pedrinhas amanheceu em 2,47 metros. Os números constam no monitoramento do Serviço Geológico Nacional (CPRM). Apesar de ter subido consideravelmente, o rio Pedrinhas ainda se encontra a 1,92 metros de atingir a cota de alerta e a 1,73 metros de atingir a cota de inundação.

“Nós sabemos que aquela é uma área muito vulnerável, mas não aumentou tanto o volume do rio, já que foi uma chuva localizada e intensa, por isso ocorreu esse transtorno. Na região do Vale do Longá os rios transbordam com mais vigor quando tem a chuva que vem do Ceará, que ocorre a partir de fevereiro. Ela entra nas cabeceiras e impacta os municípios por onde o rio passa”, destacou o climatologista Werton Costa.

Barras deve registrar mais chuva nos próximos dias, aponta meteorologia

O forte temporal que atingiu o município de Barras na noite desta terça-feira (29) causou estragos na cidade e a previsão aponta que mais chuvas devem ser registradas nos próximos dias. Segundo o climatologista Werton Costa, o temporal é considerado um evento severo ou extremo de chuva.

Segundo dados do posto da Instituto de Assistência Técnica de Extensão Rural do Piauí (Emater), a chuva em Barras de ontem foi de 122 mm. “Essa chuva era prevista e estava dentro da área do alerta de risco laranja emitido pelo Inmet [Instituto Nacional de Meteorologia] na terça (29), que significa perigo real, e atingiu quase todo o Estado, inclusive a região do Vale do Longá”, explica o climatologista.

O professor Werton Costa destaca que as chuvas ocorreram devido um sistema atmosférico vigoroso que atua sobre todo o Piauí neste momento: a Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS).  “O canal de umidade que se forma no Atlântico Sul adentra pelo Sul da Bahia e vai até a Amazônia por meio da ZCAS. É um sistema bastante conhecido pelos piauienses. Foi ele que provocou aquela chuva intensa em Picos e em Floriano e geralmente ocorre de outubro a dezembro. Sua passagem está associada a condições de alagamento, enxurrada e chuva intensa, mas a tendência é de que a ZCAS atue por mais dois dias no Estado e depois perca força”, pontua Werton Costa.

Werton Costa enfatiza que a população deve continuar acompanhando os alertas e a previsão meteorológicos para os próximos dias.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Notícias Relacionadas