Pedro II

Homem que teve pênis decepado em Pedro II segue internado; suspeita nega crime

O crime ocorreu no último dia 14 de setembro

20/09/2022 13:48h - Atualizado em 20/09/2022 14:00h

Compartilhar no

O homem que teve parte do pênis decepado no município de Pedro II segue internado no Hospital de Urgência de Teresina (HUT). A suspeita do crime, companheira da vítima, foi ouvida pela Polícia Civil e negou ter envolvimento com o crime. O caso ocorreu no último dia 14 de setembro, por volta das 3h da manhã. 

De acordo com Marcelo Leal, gerente de policiamento interior, a vítima afirma que foi dopada para que não sentisse dor. “Ele diz que foi dopado e depois acordou com um ferimento em seu pênis, momento em que pediu socorro a familiares”, explica. 

Ainda segundo a Polícia Civil, o casal mantinha um relacionamento conturbado e teriam brigado na noite anterior ao caso, o que teria motivado o crime. A investigação já foi instaurada visando apurar a autoria do crime. 

O homem que teve parte do pênis decepado no município de Pedro II segue internado no HUT (Foto: Arquivo O Dia)


Relembre o caso

Em Pedro II, um homem de 37 anos quase teve o pênis decepado na madrugada do último dia 14. O crime ocorreu por volta das 3h da manhã e a principal suspeita do crime é a própria esposa da vítima, que encontra-se foragida. 

De acordo com informações da Polícia Militar de Pedro II, o homem estava dormindo quando foi, supostamente, atacado pela mulher, que estava com uma faca de cozinha e cortou parte do órgão sexual da vítima. A polícia acredita que o crime tenha sido motivado por ciúmes. 

Devido a gravidade do ferimento, o homem foi socorrido e transferido ao Hospital de Urgência de Teresina (HUT). O estado dele é considerado greve e há chances de perder o órgão. 

Caso seja provada a veracidade da acusação, a mulher poderá responder por lesão de natureza grave e omissão de socorro. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Polícia Civil de Pedro II. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Adriana Magalhães

Deixe seu comentário