São Raimundo Nonato

Incêndio em São Raimundo Nonato: bioma pode levar até 20 anos para ser recuperado

O foco atingiu parte do corredor ecológico do município, que une a Serra da Capivara e a Serra das Confusões

14/09/2021 13:02h

Compartilhar no

Há uma semana, os olhos dos piauienses voltaram-se para o grande incêndio que atingiu o município de São Raimundo Nonato, a 527 km de Teresina. Na cidade, ao Sul do Estado, fica o Parque Nacional Serra da Capivara, Patrimônio Cultural da Humanidade e berço do homem americano.


Leia também: 

As chamas queimaram quilômetros de mata nativa, matou animais, atingiu comunidades e destruiu casas. O fogo também atingiu parte do corredor ecológico do município, que une a Serra da Capivara e a Serra das Confusões, uma das maiores áreas de preservação da caatinga do País, gerando uma perda incalculável na biodiversidade.

(Fotos: Larissa Ribeiro/Ascom Prefeitura de São Raimundo Nonato)

O biólogo Arnaldo Magalhães, professor da Universidade Federal Vale do São Francisco, alerta para o tempo de recuperação da fauna e flora da região. Além de acompanhar o incêndio que atinge o município de perto, o professor está ajudando a resgatar os animais da região. “O impacto no ecossistema da região é tão grande que levará de 10 a 20 anos a recuperação das áreas atingidas. Esse tempo pode ser reduzido com o plantio de árvores que ajudará na recuperação das áreas”, disse.


Leia também:

Imagens de satélite mostram incêndio em São Raimundo Nonato; veja o vídeo 
Moradores tentam fugir de incêndio na região de São Raimundo Nonato; veja vídeo 


Segundo o climatologista Werton Costa, a queimada que atingiu a região teve proporções ainda maiores devido às condições climáticas e ambientais, vez que a região está mais quente, seca e com ventos fortes.

“Isso foi fundamental para a gravidade do incêndio florestal em São Raimundo Nonato. Na Serra da Capivara, muitas pessoas perderam casas e criações. Os animais silvestres também sofreram. A situação lá foi muito grave e é um prejuízo incalculável, porque a recuperação daquela vegetação destruída vai demorar muito. Ali vai ser uma cicatriz que vai permanecer por um bom tempo na região em torno do Parque”, enfatiza.

Ainda não é possível saber a dimensão da área atingida pelo fogo. Esse levantamento será feito pela Secretária Estadual do Meio Ambiente (Semar), através de georreferenciamento. O secretário do Meio Ambiente de São Raimundo Nonato, André Landim, lamentou tantas perdas. 

“Estamos todos exaustos, mas estamos felizes em saber que estamos concluindo essa operação, apesar das perdas. Conseguimos preservar a Serra da Capivara, diminuir perdas de possíveis residências que pudessem ser afetadas. Tivemos perdas de animais e o professor Arnaldo se voluntariou a fazer um levantamento em campo. A flora não dá nem para comentar. Foi muita vegetação nativa perdida, e muita área de apicultura, os relatos são de várias caixas de abelhas perdidas”, pontua.

Ainda há um pequeno foco de queimada na região próxima ao corredor ecológico, mas que está sendo controlada pelo Corpo de Bombeiros.

Compartilhar no

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!


Deixe seu comentário