Ufologia: saiba mais sobre o estudo de seres extraterrestres

Com cerca de 2 trilhões de galáxias existentes no Universo, o Planeta Terra seria o único privilegiado a ter vida?

24/09/2022 14:20h - Atualizado em 24/09/2022 16:25h

Compartilhar no

Para muitos, pensar em vida fora do Planeta Terra é algo irrelevante. Entretanto, a quantidade de estrelas que existem somente em nossa galáxia mostram que, de fato, é praticamente impossível estarmos sozinhos no Universo. Segundo descobertas da NASA, a Via Láctea é habitada por, aproximadamente, 200 bilhões de aglomerados de estrelas, onde há, pelo menos, 300 milhões de planetas potencialmente habitáveis. O número torna- se ainda mais estarrecedor quando olhamos para a quantidade de galáxias como a nossa: até o momento, cientistas catalogaram mais de 2 trilhões de galáxias. 

Cientistas já catalogaram mais de 2 trilhões de galáxias no Universo (Foto: NASA/California Institute of Technology) 

Ao olharmos para a magnitude do universo, é inevitável não nos sentirmos pequenos diante da sua grandeza. Dessa maneira, faz-se necessário refletir: o Planeta Terra seria o único privilegiado a ter vida? Ou será que existem diversos outros tipos de existência da qual não fazemos ideia? 

Tais questionamentos são estudados pela Ufologia, ciência que busca compreender fenômenos extraterrestres, vida em outros planetas e casos de Objetos Voadores Não Identificados (OVNIS). 

Estamos sozinhos no Universo?

Quando damos de cara com a grandeza do Universo que, segundo estimativas, tem 15 bilhões de idade, passamos a questionar tudo que nos foi ensinado. A busca por respostas se intensifica quando olhamos para a possível existência de vida fora do Planeta Terra, pois devido a quantidade de sóis, planetas e galáxias existentes, a probabilidade de existirem outros tipos de civilizações é gigantesca. 

O estudo ufológico busca, então, entender e conhecer tais fenômenos, a fim de desmistificar essa ideia dentro da sociedade. Avistamentos de OVNIS, Aliens e, até mesmo, contatos com seres interestelares são comuns no Brasil e no Mundo desde 1940. Entretanto, registros, esculturas e pinturas rupestres de civilizações pré-históricas já mostravam a presença destes seres na Terra. 

Registros de seres alienígenas na Terra vêm desde a pré-história (Foto: Reprodução)

Apesar de ainda existir muita desinformação sobre o tema, aos poucos o tabu vem sendo quebrado. O ufólogo Alexandre Lauzid, que estuda os fenômenos desde 1977, explica que, com a chegada da internet, as pessoas agora conseguem ter acesso às informações que antes os governos tentavam esconder.

“Os governantes não queriam que fosse à público um fenômeno que eles não conseguiam explicar e não sabiam lidar. Então, as forças militares escondiam as informações, dadas como secretas. Com a chegada da internet, os governos não podem mais esconder algumas informações. Hoje, as forças armadas e aviação civil já tem protocolo de registros dessas ocorrências. Além disso, as pessoas compartilham vídeos e imagens de UFO's e todo mundo pode ver”, conta.

“Brasil tem grande participação na quantidade de avistamentos”, diz ufólogo Alexandre Lauzid

De acordo com o Ministério da Justiça e Segurança Pública, há mais de 700 registros de aparições de OVNIS no Brasil. Relatos, áudios, fotos e vídeos de Objetos Voadores Não Identificados foram, e ainda são, guardados pela Força Aérea Brasileira (FAB). Esses documentos são enviados para o Arquivo Nacional (AN), órgão vinculado ao Ministério da Justiça, que além de guardá-los, cuida da preservação e os deixa acessíveis ao público.

Em entrevista ao O DIA, ufólogo Alexandre Lauzid fala sobre os fenômenos extraterrestres (Foto: Jailson Soares/ODIA)

“O Brasil tem grande participação mundial na quantidade de avistamentos. Tivemos aqui três grandes eventos com a participação de militares: A Operação Prato, em 1977, a Noite Oficial dos Ovnis, em 1986 e o caso do ET de Varginha, em 1996. Isso sem contar que a região do Nordeste é um celeiro de ocorrência ufológicas. Cidades como Quixadá, no Ceará, Guarabira, na Paraíba e Chapada Diamantina, na Bahia, têm uma frequência fantástica de avistamentos”, destaca.

A Noite Oficial dos Ovnis, fenômeno citado pelo ufólogo, ocorreu no dia 19 de Maio de 1986, em São José dos Campos (SP). Naquela noite, 21 objetos voadores não identificados, alguns com cerca de 100 metros de diâmetro, foram avistados por dezenas de testemunhas em quatro Estados: São Paulo, Rio, Minas e Goiás. Além disso, tais objetos foram detectados por radares do Centro Integrado de Defesa Aérea e de Controle de Tráfego Aéreo (Cindacta).

 Ministério da Justiça e Segurança Pública já contabilizou mais de 700 registros de aparições de OVNIS no Brasil (Foto: Reprodução)

O evento entrou para história como um dos casos mais importantes da ufologia mundial e um dos casos com o maior número de testemunhas. 

Eles não querem nos fazer mal

Se considerarmos as possíveis civilizações que vivem a anos-luz de distância do Planeta Terra, é inevitável não pensar: como eles viajam no espaço? Isso só seria possível mediante à uma tecnologia avançadíssima, na qual nem os próprios seres humanos têm acesso. 

Por muito tempo, a sociedade acreditou que essa tecnologia avançada que possíveis extraterrestres tem, poderia nos ferir de alguma maneira. Muitos ainda acreditam que estes seres querem dominar a Terra e escravizar os humanos. “Se eles quisessem, já teriam feito. Essa imagem de aliens maus foi criada pela mídia há muito tempo”, diz Alexandre Lauzid. 

“Eles não querem nos fazer mal. Estão entre nós para nos monitorar e impedir que façamos besteira com o próprio planeta. Acompanham o nosso desenvolvimento tecnológico e são preocupados com o mau uso da mesma contra nós mesmos. Acredito que, à medida que mais e mais pessoas aprendam sobre a ufologia e a vejam como algo real, tem o início do processo de transformação da maneira como elas veem a humanidade e o Universo. A transformação vem a partir do conhecimento, onde as pessoas verão que não estamos sós e não somos os únicos”, acrescenta. 

“A ciência precisa se aproximar da espiritualidade", diz ufólogo

Para Alexandre Lauzid, ciência e espiritualidade precisam andar de mãos dadas. O ufólogo destaca que, na Bíblia, existem diversas passagens bíblicas que falam, de maneira indireta, sobre a existência de extraterrestres ou de outros mundos. Além da Bíblia, diversas outras escrituras de outras civilizações terrenas relatam a existência de seres alienígenas. 

“Cristo disse ‘na casa de meu pai existem várias moradas’, isso significa que a casa do Pai não é aqui, é lá fora. Ele disse que ‘seu Reino não é deste mundo’, só com essa afirmação, nós matamos a charada. A ciência precisa se aproximar da espiritualidade. Nós somos almas que vieram ter uma experiência humana na Terra. Nós somos humanos, mas faturamos seremos luz, energia”, comenta.

Práticas meditativas ajudam às pessoas a se aproximarem de sua própria essência e espiritualidade (Foto: Pexels)

A Ufologia Esotérica relaciona os dois estudos: a compreensão da vida fora do planeta e a compreensão da vida após a morte e dos fenômenos espirituais. Segundo o astrofísico e espiritualista Laércio Fonseca, o contato de seres alienígenas com humanos é mais provável de acontecer em meio a espiritualidade, onde existe uma abertura maior para que essas manifestações possam acontecer sem julgamento.

"Médiuns e sensitivos, kardecistas, umbandistas, dentre diversas outras linhas que interagem com o mundo dos espíritos, passaram a ter um contato maior com esses seres. Existe uma integração entre esoterismo e ufologia. A partir disso, começamos a entender que existe uma relação entre extraterrestres e espiritualidade. Por isso, o fenômeno UFO só será compreendido quando a humanidade entender o que é a vida após a morte”, diz Laércio Fonseca. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Adriana Magalhães

Deixe seu comentário