Esperantina

Esperantina: quadrilha furtava animais para vender carne em açougues; 11 foram presos

Op. Autócilos dos Cocais: polícia identificou dois núcleos de atuação e cumpriu 23 mandados. Outras três pessoas já haviam sido presas em flagrante anteriormente.

18/10/2022 07:39h

Compartilhar no

A Polícia Civil deflagrou uma operação na manhã desta terça-feira (18) para cumprir uma série de mandados judiciais contra uma quadrilha especializada em furtar animais como gado, ovelhas e porcos para repassá-los a açougues, onde a carne era vendida. A ação foi batizada de Autólicos dos Cocais e se concentra na cidade de Esperantina, onde o grupo criminoso atuava. Ao todo, foram cumpridos 23 mandados sendo 12 de busca e apreensão e 11 de prisão. Todos os 11 alvos da ação foram localizados e detidos.


Foto ilustrativa: Reprodução

A ação mobilizou as Polícias Civil e Militar das cidades de Esperantina, Barras, Batalha, Matias Olímpio, Porto e Luzilândia. Durante a investigação, foram identificados dois núcleos de atuação com um líder cada. Esses núcleos eram subdivididos entre as pessoas que iam para o campo furtar os animais de propriedades da região e entre os compradores desses animais. Nos dois esquemas, havia a figura de um líder, que era a pessoa que fazia o elo entre quem fazia o roubo e quem recebia os animais roubados.

Os mandados cumpridos hoje (18) consistem na terceira fase da Operação Autólicos dos Cocais. Quem explica é o delegado Ayslan Magalhães, titular da Delegacia Regional de Esperantina. 

“Conseguimos identificar dois esquemas de furto de animal e receptação qualificada. No esquema um, o Anderson era o líder da organização, ele que comandava e que fazia o elo entre os compradores e quem ia furtar os animais. No esquema dois, uma das pessoas que iam para o campo furtar os animais era o líder e quem fazia esse elo entre os compradores. A primeira etapa da ação consistiu na prisão em flagrante do Anderson e na segunda etapa foram presos o Zé Peinha e o Gustavo. A partir daí, foram identificados os outros elementos e cumpridos os mandados na data de hoje”, explica o delegado.


O delegado Ayslan Magalhães coordenou a investigação - Foto: Reprodução

Os outros indivíduos que faziam parte do esquema um foram identificados como sendo: Leandro, Nego Cross, Neto, Júnior (iam para o campo furtar animais); Joaquim, Alciomar, outro indivíduo de nome Júnior (compradores direto); Deso, Bebê e mais um de nome Leandro (donos de açougue). O líder deste primeiro esquema era Anderson. Já do esquema dois faziam parte: Roger, Jardel e Nego Cross (iam para o campo furtar animais); Carlito da Favera, Anderson, Júnior (compradores). O líder deste segundo esquema era Gustavo.

A polícia não informou quantos animais a quadrilha chegou a furtar na região de Esperantina, mas disse que os presos deverão responder pelos crimes de organização criminosa, furto de animal e receptação qualificada. Para a receptação qualificada, a pena pode chegar a até oito anos de prisão. Os presos foram encaminhados nesta terça (18) para audiência de custódia e serão encaminhados diretamente para o sistema penitenciário. 

A polícia vai continuar com as investigações e os interrogatórios para saber se os donos de açougues de Esperantina e região no entorno participavam diretamente do furto dos animais ou se eram apenas receptadores. Caso sejam receptadores, eles também devem ser indiciados por receptação qualificada.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Notícias Relacionadas