Enem 2021: videoprovas em Libras são disponibilizadas pelo Inep no Youtube

Questões do Enem 2021 e de edições anteriores podem ser acessadas através do site

10/12/2021 17:50h

Compartilhar no

Os participantes que realizaram a prova em Língua Brasileira de Sinais (Libras) do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) de 2021 já podem conferir as questões. O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) disponibilizou, em seu canal do YouTube, as questões das videoprovas. No total foram 191 vídeos adicionados em uma playlist específica com a interpretação das questões na linguagem de sinais.

De acordo com o órgão, em cinco anos, mais de cinco mil pessoas realizaram o Enem por meio dessa modalidade de prova. A modalidade foi implementada em 2017 pelo Instituto. As questões das edições anteriores podem ser consultadas por meio do endereço http://enemvideolibras.inep.gov.br/.

Nesse tipo de prova, as orientações, os enunciados das questões e as alternativas de respostas são apresentados em Libras por meio de vídeos gravados em DVDs e apresentados em um notebook. Nas questões de línguas estrangeiras, somente os trechos originalmente em português são traduzidos para Libras. As videoprovas também têm o mesmo número e valor das questões da prova regular.

As provas do Enem 2021 foram aplicadas nos domingos 21 e 28 de novembro. No primeiro dia, os participantes responderam questões de linguagens, ciências humanas, além de desenvolverem uma redação dissertativa-argumentativa, com o tema “Invisibilidade e registro civil: garantia de acesso à cidadania no Brasil”. Já no segundo dia, foi a vez das provas de ciências da natureza e de matemática.

Os gabaritos oficiais foram disponibilizados na semana passada. Além dos gabaritos, também foram publicados os cadernos de questões dos dois dias de exame, incluindo as provas acessíveis, aplicadas a quem teve direito a atendimento especializado.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Agência Educa Mais Brasil

Deixe seu comentário