Vacina contra Covid-19 produz resposta imune, indica estudo de Oxford

A Fase III está sendo estudada em diversos países, como no Brasil, onde a pesquisa está em andamento

20/07/2020 11:59h

Compartilhar no

Os cientistas da Universidade de Oxford anunciaram nesta segunda-feira (20) que a vacina contra a Covid-19 que está sendo desenvolvida é segura e induz fortes respostas imunes no sistema imunológico. O resultado foi publicado na revista científica The Lancet e é referente ao estudo da Fase I e II. A Fase III está sendo estudada em diversos países, como Brasil e África do Sul, que já está em andamento.

Leia também: Corticoide é usado em tratamento contra Covid-19 

Durante o estudo de Fase I / II, a vacina foi avaliada em mais de mil voluntários adultos saudáveis, com idades entre 18 e 55 anos, em um estudo controlado randomizado. Um subconjunto desses voluntários (10 pessoas) recebeu duas doses da vacina. Entre 23 de abril de 2020 e 21 de maio de 2020, 1077 voluntários receberam a vacina ChAdOx1 nCoV-19 ou uma vacina MenACWY placebo. Não houve eventos adversos sérios à saúde relacionados ao ChAdOx1 nCoV-19.

“Os dados da Fase I / II da nossa vacina contra o coronavírus mostram que a vacina não levou a reações inesperadas e tinha um perfil de segurança semelhante ao das vacinas anteriores desse tipo”, explicou Pollard.

(Foto: Reprodução/Universidade de Oxford)

Resultados

Os estudiosos destacaram que a vacina provocou uma resposta de células T dentro de 14 dias após a vacinação (glóbulos brancos que podem atacar células infectadas com o vírus SARS-CoV-2) e uma resposta de anticorpos dentro de 28 dias (os anticorpos são capazes de neutralizar o vírus para que ele não possa infectar células quando inicialmente contraídas).

Durante o estudo, os participantes que receberam a vacina tiveram anticorpos neutralizantes detectáveis, sugeridos pelos pesquisadores como importantes para a proteção, e essas respostas foram mais fortes após uma dose de reforço, com 100% do sangue dos participantes tendo atividade neutralizadora contra o coronavírus. O próximo passo no estudo da vacina é confirmar que ela pode efetivamente proteger contra a infecção por SARS-CoV-2.

A Universidade de Oxford está trabalhando com a empresa biofarmacêutica global com sede no Reino Unido para o desenvolvimento, fabricação em larga escala e distribuição potencial da vacina Covid-19, com planos de desenvolvimento clínico e produção da vacina de Oxford progredindo globalmente. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes