Educação sexual pode prevenir e revelar casos de abuso sexual infantil

Ao tomar consciência sobre o próprio corpo e reconhecer que partes podem ser tocadas por outras pessoas, as crianças poderão denunciar casos de abuso.

30/08/2020 14:34h - Atualizado em 31/08/2020 09:13h

Compartilhar no

Um ponto importante a ser debatido quando se fala em abuso sexual infantil é a educação sexual nas escolas voltada para as crianças, com o intuito de prevenir que casos de abuso sexual infantil aconteçam. Segundo a psicóloga, Lilyane Moura, ao tomar consciência sobre o próprio corpo e reconhecer que partes podem ou não ser tocadas por outras pessoas, as crianças poderão denunciar aos professores ou pais sobre casos de abuso.


Leia mais:
“Não é algo que você consegue superar”, diz vítima de estupro 

De acordo com a psicóloga, em casos de abuso sexual infantil, por não saberem que partes do seu corpo não podem ser tocadas, muitas crianças não conseguem reconhecer que as ações praticadas pelos abusadores são erradas, mesmo assim, as vítimas reconhecem o incômodo do abuso, mas temem expor os crimes por sentirem culpa.

Foto: Getty Images

"Na educação sexual será ensinado o que é certo e errado, qual parte do corpo é só da criança, para que ela se conheça e saiba os limites"

"Isso pode reverberar no futuro da criança, ao descobrir que sofreu um abuso e se culpar porque não sabia o que estava acontecendo, e isso acontece muito, porque a criança tem inocência e não sabe o que é errado. Na educação sexual será ensinado o que é certo e errado, qual parte do corpo é só da criança, para que ela se conheça e saiba os limites", alerta.
A socióloga Diana Duarte destaca que por muitas vezes os abusos sexuais acabam sendo escondidos pela criança e às vezes só será descoberto muitos anos depois, porque o silêncio, a quietude ou mesmo a agressividade, nem sempre são encarados como indicativos de abuso sexual.
“A criança pode apresentar comportamento agressivo na escola ou mesmo com alguns traços de inadequação sexual, como, por exemplo, mostrar partes íntimas ou pegar nas partes íntimas dos colegas da escola. É importante deixar claro que nem sempre a criança transparece de maneira evidente", alerta.

"A sexualidade é, por definição, o exercício de amor e intimidade com as pessoas e não faz referência somente o sexo como a maior parte das pessoas pensam"

A socióloga destaca ainda que os pais precisam de orientação para saber como conversar com seus filhos sobre assuntos que envolvem a sexualidade, tendo em vista que a sexualidade nos direciona ao sentimento, as relações com o outro tanto física quanto mentalmente. “A sexualidade ainda é difícil de lidar. Lembrando que sexualidade é, por definição, o exercício de amor e intimidade com as pessoas e não faz referência somente o sexo como a maior parte das pessoas pensam”, destaca.
A socióloga também acredita que  o ensino da educação sexual é importante para prevenir e até mesmo revelar casos de abuso, mas também orientar os pais a conversar com os filhos sabendo que estão respeitando os limites da sexualidade da criança. “Desse modo, se acontecer alguma situação adversa, a criança saberá relatar aos pais, porque não sentirá vergonha e nem se deixará ser constrangida pelo abusador”, finaliza.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Nathalia Amaral

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas