"˜Proibição de coligar com a esquerda´, explica Nerinho sobre debandada no PTB

O parlamentar disse que o grupo político é da base do governador e os membros devem sair caso a proibição no PTB permaneça

01/02/2021 15:46h

Compartilhar no

O deputado estadual Nerinho (PTB) explicou nesta segunda-feira (1°) que a saída dos membros do PTB no Piauí é motivada por uma resolução da executiva nacional do partido que proíbe coligações com 11 partidos de esquerda, no qual está incluído o PT, sigla do governador Wellington Dias e que deve ter candidato ao governo do estado nas eleições de 2022. 


Leia também“O ano da retomada”, afirma Wellington Dias em mensagem anual 


O parlamentar disse que o presidente estadual do PTB, ex-senador João Vicente Claudino, já reuniu os integrantes do partido e comunicou a resolução nacional. No encontro, ficou acertado que se a medida permanecer até o mês de abril, quando é permitido a troca de partido por parte de políticos com mandato, a sigla será esvaziada. 

“Tivemos uma reunião há algumas semanas e o João Vicente (Claudino) nos informou que o PTB a nível nacional, com o presidente Roberto Jefferson, baixou uma resolução vedando que o partido faça composição com os 11 partidos da esquerda. Ele disse que se essa resolução permanecer não temos condição de permanecer no PTB. Mas como só podermos sair em Abril, quando abre a janela para troca de partidos, esperamos que até lá essa resolução seja mudada”, declarou. 

Deputado Nerinho (Foto: Assis Fernandes / O Dia)

Nerinho destacou que ainda não foi discutido para qual partido os membros iriam. Para ele, está cedo para essa tratativa, mas que é necessário o fortalecimento do grupo para quando chegarem a uma nova sigla esteja forte para disputa das eleições do próximo ano. Ele defendeu ainda que o grupo segue na base do governo. 

“Não tivemos conversa ainda sobre qual partido iriamos, ainda é muito cedo. Precisamos nesse momento buscar o fortalecimento do nosso grupo para quando decidirmos qual é o partido possamos ter um partido pujante. Na base do governador. Em continuando essa resolução, todos sairão. Deve ficar alguém no comando, mas com mandato não fica ninguém”, disse. 

Sobre a possibilidade de João Vicente Claudino se filiar ao Progressista, o deputado afirmou que o ex-senador tem suas preferências pessoais, mas que tem sido fiel ao projeto do grupo político. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário