“Tivemos grandes retrocessos”, diz Fábio Novo ao avaliar gestão de Dr. Pessoa

O secretário enumerou problemas que se agravaram em Teresina desde o início da nova administração da Capital

20/01/2022 16:32h

Compartilhar no

Candidato a prefeito de Teresina na eleição de 2020, o secretário de Cultura do Piauí, deputado estadual Fábio Novo (PT), avaliou o primeiro ano da gestão de Dr. Pessoa como um “grande retrocesso” para Teresina e enumerou problemas em diversas áreas que se agravaram desde o ano passado. O ponto mais criticado, porém, é o transporte público.

“Não se deu resolução para os terminais, não se pagou as empresas, usou-se uma CPI como pano de fundo para não enfrentar o problema. Não houve vontade de resolver o problema. O PSDB entregou para o Pessoa com 20 milhões de débito com as empresas e hoje está com R$ 70 milhões. Vai chegar o momento que vai quebrar”, analisou.


Leia tambémDr. Pessoa não honra acordo e faz dívida com o Setut triplicar 


“Tivemos grandes retrocessos na área da saúde. Pessoas técnicas que foram trocadas por indicações políticas”, disse Fábio Novo ao criticar também gestão de unidades de saúde de Teresina. “Torço que ele acerte, mas até agora não acertou”, declarou.

Foto: Jailso Soares / O Dia

O secretário revelou que anulou seu voto no segundo turno da eleição de 2020 por não acreditar na capacidade de Dr. Pessoa para gerir a Capital – mesmo o PT declarando voto -- e por não concordar com as administrações do PSDB, representando pelo candidato Kléber Montezuma.

Sobre a possibilidade de Dr. Pessoa não retribuir ao PT agora na disputa pelo governo o apoio que recebeu no segundo turno do pleito municipal, Fábio Novo disse que a posição do prefeito já era aguardada devido sua proximidade com o presidente Bolsonaro.

“Essa posição já era esperada. O Dr. Pessoa votou no Bolsonaro na eleição passada. Tanto ele como seu vice-prefeito. Para mim não é novidade. Novidade seria se ele ficasse na base do governo’, disse. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário