Alepi pede informações da Prefeitura de Teresina sobre repasses para o São Marcos

As dificuldades da entidade filantrópica que é responsável pelo tratamento de pacientes oncológicos no Piauí foram denunciadas pelo O Dia.

24/11/2021 17:01h

Compartilhar no

A situação do Hospital São Marcos, que reduziu em 40% os atendimentos a pessoas com câncer devido à retenção de recursos por parte da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e a não assinatura de contrato, deve ser debatida em Audiência Pública na Assembleia Legislativa do Estado do Piauí. As dificuldades da entidade filantrópica que é responsável pelo tratamento de pacientes oncológicos no Piauí foram denunciadas pelo O Dia. 

O pedido para a Audiência Pública foi apresentado no Legislativo pelo deputado estadual Henrique Pires (MDB), que questionou a falta de aportes financeiros para o São Marcos. O deputado Gessivaldo Isaias (Republicanos) também apresentou requerimento em que pediu informações da Prefeitura de Teresina sobre a redução dos atendimentos na unidade.

Foto: Assis Fernandes / O Dia

De acordo com a Associação Piauiense de Combate ao Câncer Alcenor Almeida (APCCAA), mantenedora do Hospital São Marcos (HSM), desde o mês de fevereiro o número de pacientes atendidos diariamente caiu de 17 para apenas 10. O motivo, segundo a direção do hospital, é a falta de vigência do contrato entre a Prefeitura de Teresina e a APCCAA. 

O jornal O Dia denunciou também que atualmente um total de R$ 8 milhões de emendas de deputados e senadores do Piauí estão travados na FMS e não foram repassados para o Hospital São Marcos. “A instituição prevê fechar o ano com déficit de R$24 milhões e o dinheiro retido na Fundação Municipal de Saúde ajudaria a equilibrar as contas”, divulgou O Dia. 


É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário