Após encontro estadual do diretório, PT fará ajustes na chapa por federação com o PSB

O impacto imediato será a retirada de candidaturas de vários petistas, hoje de acordo com a legislação serão 31 vagas para a chapa de deputado estadual e 11 de deputado federal

17/01/2022 07:52h

Compartilhar no

O Partido dos Trabalhadores  se reuniu no último sábado(15) para a realização do primeiro encontro estadual do diretório em 2022. Na mesa os parlamentares e dirigentes da sigla discutiram as adequações que serão necessárias caso o partido decida pela concretização de uma federação com PSB e PC do B. O impacto imediato será a retirada de candidaturas de vários petistas, hoje de acordo com a legislação serão 31 vagas para a chapa de deputado estadual e 11 de deputado federal, PT já possui esse número completo no Piauí. Com a chegada de candidatos de outros partidos alguns ficarão de fora. 

Durante o encontro a sigla discutiu ainda a formação da chapa majoritária e os membros do PT alinharam o momento mais adequado para se lançar a candidatura de Rafael Fonteles e Themístocles Filho para o governo do Piauí. Nos bastidores uma ala petista especulou que o anúncio fosse feito no aniversário do partido, no dia 10 de fevereiro, a hipótese, porém, foi refutada. De acordo com informações de bastidores do encontro do PT, a definição deverá ficar para após o início da janela partidária, no mês de março. 

Membro do diretório estadual, o vereador Dudu Borges explicou as adequações que devem ser feitas, e esclareceu que não teme que os petistas percam espaços com a chegada de candidatos fortes pela federação.  “Toda e qualquer movimentação daqui pra frente, se houver a federação, nós do PT vamos ter sim que fazer uma adequação na nossa chapa, isso é fato. Agora não significa dizer que vamos sair prejudicados. Hoje nós temos nome para eleger sete deputados, com essa federação candidaturas que somam aí, mais de 40 mil praticamente formam o seu quociente eleitoral, isso não prejudicaria a nossa chapa. Agora o curto-circuito que está dando é no quantitativo, nós temos 31 vagas no PT tem 20 candidaturas masculinas, tendo a federação teremos sim que diminuir a quantidade de candidaturas do PT para que esses outros possam chegar”, disse o parlamentar. 

Na última semana o presidente do PSB no Piauí, ex-governador Wilson Martins, se reuniu com os deputados Nerinho (PTB), Hélio Isaías (Progressistas) e Fábio Xavier (PL). Os três se filiarão ao PSB caso o partido faça uma federação com o PT em âmbito nacional. Três secretários fortes, com alto potencial de voto, ambos apresentam uma ameaça para a chapa proporcional do PT, já que terão, provavelmente, uma margem de votação acima da média do partido. 

FOTO: Ascom PT

Federação trará mais “fidelidade”

Especialistas demonstram confiança de que a criação da federação partidária trará uma fidelidade maior a base. De acordo com a legislação, os partidos que fizerem parte da federação deverão ficar unidos por quatro anos, até a próxima eleição. Votando com a mesma liderança e defendendo as mesmas pautas.

Dudu ressalta que a democracia poderá se beneficiar com a nova legislação, combatendo inconsistências ideológicas históricas. “ A federação tem uma vantagem, eleitos na federação é melhor que uma coligação. Na coligação depois da eleição todo mundo vai por si e deus por todos, com a federação não, é amarrado os quatro anos, você tem a diretriz da federação. A nível nacional, por exemplo, quem vai dar o dom é o PT, os deputados não poderão cometer atos de infidelidade como fizeram com a Dilma. Temos que fazer os ajustes para manter as cadeiras. Vamos estabelecer critérios para se definir a quantidades de vagas para cada partido. A gente vai fazer adequações sem prejudicar a nossa estratégia” finalizou o parlamentar.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário