Câmara de Teresina antecipa eleição para presidente; Enzo anuncia candidatura

A manobra pegou de surpresa parte dos parlamentares e é mais uma estratégia dos vereadores para mostrar força na queda de braço contra a prefeitura

14/06/2022 10:38h - Atualizado em 14/06/2022 13:29h

Compartilhar no

A Câmara Municipal de Teresina aprovou na manhã desta terça (14) um requerimento do vereador Deolindo Moura (PT) que antecipou para a próxima quarta (15) a eleição para a mesa diretora do legislativo. A manobra pegou de surpresa parte dos parlamentares e é mais uma estratégia dos vereadores para mostrar força na queda de braço contra a prefeitura. Articulada pelo presidente da casa, Jeová Alencar (Republicanos), a eleição já tem como candidato o vereador Enzo Samuel (PDT). Uma reunião de emergência foi convocada pelo Palácio da Cidade para discutir a eleição. 

Essa é a segunda antecipação de eleição para a mesa diretora nos últimos anos, o pleito deveria ocorrer até 31 de dezembro de 2022 para escolher o novo comando da casa para o biênio 2023-2024. Candidato único até o momento o vereador Enzo Samuel analisou o pleito. “Os 29 nomes dos vereadores estão à disposição para disputar essa eleição da Câmara Municipal, é um momento novo de uma construção, estão abertos os prazos para se discutir e montar chapas. A gente acredita que o melhor nome venha a representar Teresina da melhor forma possível”, disse o parlamentar.

FOTO: Assis Fernandes/ODIA

Já o vereador Renato Berger, ex-líder de governo na casa, lamentou o processo abrupto de antecipação e não descartou a possibilidade de disputar o pleito. “Fiquei espantado, de um dia para o outro, eu amigo do Jeová, amigo dos vereadores, ninguém me disse nada. Eu tenho até pretensão de disputar desde que exista possibilidade. A gente precisa conversar e ver, se houver possibilidade eu tenho interesse se não houver vida para a frente. Eu acho que não havia necessidade fazer uma coisa de hoje para amanhã”, criticou o parlamentar. 

FOTO: Tarcio Cruz/ O DIA

Acirramento Eleitoral

Ao defender o requerimento aprovado o vereador Jeová Alencar, um dos principais articuladores da manobra, argumenta que o acirramento eleitoral poderia prejudicar o pleito. O fato curioso é que a eleição para a mesa só ocorreria em Dezembro, dois meses depois da eleição. “O vereador Deolindo coloca no projeto o acirramento político, o antes e o pós eleição poderia atrapalhar na eleição da mesa já para Dezembro. Neste sentido os vereadores da casa entenderam que seria melhor antecipar a eleição e já lançaram o nome do vereador Enzo. Está aberto a qualquer um dos 29 vereadores colocarem o nome a disposição”, disse o atual presidente. 

Judicialização

O vereador Dudu um dos únicos que não votaram a favor do requerimento, ao lado do vereador Ismael, criticou a medida e revelou que o processo pode ser judicializado. "Fui tomado de surpresa por essa antecipação de eleição abruptamente. Achei estranho por que houve uma movimentação, o Enzo era o líder do prefeito na Câmara e entregou liderança o presidente Jeová aderiu a uma eleição antes, houve uma reunião do Republicanos, e hoje terça há essa movimentação. Achei uma conexão grande de uma movimentação que não casa com a eleição, por isso que não assinei o requerimento e me abstive. Vou continuar dialogando para que a gente não tenha uma judicialização deste processo", criticou. 

FOTO: Tarcio Cruz/ O DIA


É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário