Ciro confirma apoio à PEC da Transição um dia após PT aderir à candidatura de Arthur Lira

O único ponto de divergência do Progressistas com relação ao texto protocolado no senado é a duração da PEC

30/11/2022 12:05h - Atualizado em 30/11/2022 12:29h

Compartilhar no

O Ministro da Casa Civil, Ciro Nogueira, confirmou que o Progressistas apoiará a PEC da Transição que tramita no senado. Em um texto divulgado na manhã desta quarta (30), o dirigente partidário revelou que a sigla votará a favor da matéria que permite o pagamento fora do teto constitucional de programas sociais como o Auxílio Brasil, que voltará a ser chamado Bolsa Família. A PEC também permite o pagamento de R$ 600 do benefício, além da parcela de R$ 150 por filho menor de 6 anos

O único ponto de divergência do Progressistas com relação ao texto protocolado no senado é a duração da PEC. A proposta inicial coloca um limite de quatro anos para a medida, ou seja, até 2026, já o Progressistas defende que a medida seja válida apenas por um ano, até o fim de 2023.

FOTO: Pedro França/Agência Senado

O anúncio de Ciro Nogueira ocorre um dia após a federação PT, PV e PC do B anunciar apoio à recondução de Arthur Lira para a presidência na Câmara. Juntos, os três partidos somam uma bancada 80 deputados. O PSB do vice-presidente, Geraldo Alckmin, também anunciou apoio a Arthur Lira.

Por meio de informe, a assessoria de Ciro Nogueira revelou que a decisão foi tomada “em sintonia” com o comando da legenda. “A bancada do partido no Senado Federal decidiu, por unanimidade, manifestar-se nos seguintes termos:

1-  Pela aprovação da PEC da Transição que concede o valor de R$ 200 a mais para que se atinja benefício social de R$ 600;
2-  Pela discussão acerca de R$ 150 por criança, destinados às mães com filhos até 6 anos de idade;
3-  Pela aprovação do aumento real do salário mínimo.
4-  Pela vigência de 1 ano dos efeitos da PEC. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no