Ciro diz que Mão Santa e PT "é água e vinho, não se misturam"

A afirmação foi feita em meio a rumores de que Gracinha poderia se filiar ao MDB, se aliando a Rafael Fonteles

07/01/2022 13:07h - Atualizado em 07/01/2022 13:38h

Compartilhar no

O Ministro-Chefe da Casa Civil, Ciro Nogueira, revelou em entrevista na manhã desta sexta (7)  que confia na filiação de Gracinha Moraes Souza, filha do Prefeito de Parnaíba, Mão Santa, ao Progressista. A afirmação foi feita em meio a  rumores de que Gracinha poderia se filiar ao MDB, na briga por uma cadeira na Assembleia Legislativa do Piauí. Com a ida para o MDB a gestora  se aliaria, automaticamente, ao pré-candidato do PT ao governo do Estado, Rafael Fonteles. 

Ciro foi taxativo ao negar que a aliança entre o prefeito de Parnaíba e o Partido dos Trabalhadores possa ocorrer. "Mão Santa e PT é água e vinho, não se misturam não", disse em tom de humor o ministro. Ciro revelou também que irá ao litoral acertar os termos para a filiação de Gracinha ao seu partido. "Ela deve se filiar ao Progressistas, estou indo agora ao litoral para conversar com ela", afirmou o senador. Secretaria de Infraestrutura e Defesa Civil de Parnaíba, Gracinha tem alta popularidade na planície litorânea e é uma forte candidata a deputada estadual.  

Ciro ainda avaliou o cenário da chapa de oposição e lamentou a indecisão do deputado Hélio Isaías, filiado ao Progressista, mas na base do governo. “Estamos estudando, vamos escolher primeiro os candidatos a governador e vice. O Joel já está consolidado como candidato ao senado, e aí vamos escolher os nomes que possam ser representativos para fazer uma chapa mais ampla possível para conseguir a vitória. O Wilson é um grande deputado, vai continuar com a gente, o Hélio é uma incógnita, é de uma região importante, temos uma grande prefeita lá, mas só o tempo dirá”, concluiu.

Vice de Bolsonaro

O ministro da casa civil avaliou também a possiblidade do Progressistas indicar o vice ao lado de Bolsonaro. Para ele não será uma exigência a composição. “A aliança com o Bolsonaro já está consolidada, iremos apoiar o Bolsonaro na sua reeleição, tenho definido que o vice é uma escolha do presidente. Independente do partido isso não é condição para nós o apoiarmos não. Vai ser uma eleição muito polarizada, entre Lula e Bolsonaro, o Nordeste tende a ter uma maioria para o Lula e o restante para Bolsonaro, espero que o país tenha amadurecido para fazer uma grande escolha. Não podemos retroceder jamais”, finalizou o minsitro. 

FOTO: Assis Fernandes/ODIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário