Comissão adia análise do empréstimo de R$ 250 milhões da Prefeitura de Teresina

O entrave seria político, vereadores cobram de Dr. Pessoa maior diálogo junto ao legislativo e esclarecimentos sobre o empréstimo de R$ 500 milhões

22/11/2022 14:09h

Compartilhar no

O clima de instabilidade segue nos corredores da Câmara Municipal de Teresina. Insatisfeitos os vereadores adiaram a tramitação do novo empréstimo de R$ 250 milhões da Prefeitura junto ao Banco de Brasília. A matéria seria analisada pela comissão de Finanças nesta terça-feira (22), porém devido a um questionamento jurídico a matéria não foi apreciada. O entrave seria político, vereadores cobram de Dr. Pessoa maior diálogo junto ao legislativo e esclarecimentos sobre o empréstimo de R$ 500 milhões aprovado anteriormente.

Segundo o Projeto de Lei o recurso será utilizado para construção, reforma de equipamentos públicos e implantação de infraestrutura, saneamento básico e saúde. A gestão apresentou o Fundo de Participação dos Municípios (FPM) como garantia da operação. Porém não indicou especificamente quais seriam as obras.

FOTO: Assis Fernandes/ O DIA 

O líder de governo, Antônio José Lira (Republicanos), comentou as dificuldades enfrentadas na comissão e revelou o pedido de esclarecimentos já foi encaminhado ao executivo.  “A operação de crédito junto ao Banco de Brasília no valor de R$ 250 milhões ainda não saiu da comissão de finanças, na comissão ocorreram alguns questionamentos por parte da assessoria técnica legislativa que eu já passei imediatamente para o secretário Dr. André, ou seja até terça acreditamos que estará resolvido junto a comissão de finanças. Não se pode pautar o que não tramitou na comissão”, disse o vereador.

O vereador comentou também a desistência do pedido de urgência, fato que ocorreria na última semana, porém, enfrentando resistência no parlamento, a liderança do Prefeito não apresentou o pedido.  “O empréstimo de R$ 500 milhões tramitou em caráter de urgência especial ,esse não, vai tramitar normal, passando pelas comissões, depois tem primeira votação, depois tem segunda votação. Nem sequer fizemos o requerimento para tramitar em regime especial, ele foi lido e tramitou normalmente. Não pode estar na pauta por que não saiu da comissão”, concluiu. 

Dr. Pessoa em reunião com parlamentares em julho FOTO: Tarcio Cruz/ O DIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário