Em meio a crise, Pessoinha admite que governo de Dr. Pessoa "não está legal"

Dr. Pessoa chega aos 18 meses de gestão com uma baixa popularidade e muitas críticas.

06/06/2022 14:07h - Atualizado em 06/06/2022 14:14h

Compartilhar no

O Presidente da Empresa Teresinense de Desenvolvimento Urbano (Eturb), João Pessoinha, admitiu em entrevista na manhã que a gestão do seu pai, Dr. Pessoa, “não está legal”. A revelação surge em meio a um período de afastamento do Prefeito Dr. Pessoa para tratamento da Covid-19.

Enfrentando dificuldades nas áreas de educação, com uma longa greve dos professores, e ameaças de paralisação no transporte e na saúde, Dr. Pessoa chega aos 18 meses de gestão com uma baixa popularidade e muitas críticas.

João Pessoinha negou discutir o cenário político e o desembarque do presidente da Câmara, Jeová Alencar, do grupo político do Republicanos. “Vamos trabalhar para avançar cada vez mais na gestão. Mesmo sendo presidente dos Republicanos vamos trabalhar para fortalecer as chapas proporcionais. Questão política se vai apoiar senador, governador, eu prefiro ficar de fora. Disse até para o Prefeito, a população reclama, a gestão não está legal e eu tenho que trabalhar mais ainda. Eu disse para o prefeito, se o senhor quiser eu nem durmo, trabalhar todos os dias para resolver os problemas”, afirmou o filho do prefeito.

FOTO: Assis Fernandes/ODIA

Pessoinha ainda elencou os motivos que prejudicam a gestão do pai. “Por que eu digo que a gestão não está legal, a população reclama da falta de ônibus, de um asfalto de qualidade de uma melhor ação na limpeza, melhoria na iluminação pública. A gente que é gestor tem que ter uma autorreflexão e trabalhar cada vez mais. A gente assumiu uma gestão de um grupo político que estava há 30 anos no poder, que tem suas qualidades, mas também seus defeitos . A gente tem que mostrar a que veio. A população hoje com o avanço das redes sociais tem cobrado mais. Por isso que eu falo que a gestão não tá legal. Agora no segundo semestre vamos melhorar mais para a gente mostrar a que veio”, finalizou João Pessoinha.  

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário