Governador discute com investidores viabilidade de PPP no cerrado piauiense

O estudo técnico em desenvolvimento deve ser apresentado ao público no próximo ano

10/12/2020 09:56h

Compartilhar no

O governador Wellington Dias (PT) e empresários do ramo imobiliário estiveram reunidos nesta quarta-feira (9), discutindo o início dos estudos de viabilidade do “Projeto Cidade Agro”, na região do cerrado piauiense no Sul do estado, através de uma Parceria Público-Privado (PPP).

“A intenção é garantir que tenhamos um plano, integrando municípios e Estado também, trabalhando com uma estrutura de energia, comunicação, rodovias e educação no sentido da profissionalização e segurança. Um plano de curto, médio e longo prazo de desenvolvimento urbano, com investimentos privados”, destacou o chefe do Executivo estadual.

Wellington Dias (Foto: Reprodução/CCom)

Antes disso, o Governo do Piauí já havia apresenta à investidores um projeto semelhante, em relação a TranscerradosRodolfo Santos, representante da CWI Investimentos, que compõe o consórcio responsável pela realização dos estudos de viabilidade da PPP, destacou os benefícios que a parceria deve trazer para aquela região, considerada uma das principais fronteiras agrícolas do país


LEIA TAMBÉM: Governo abre consulta pública para PPP do Zoobotânico 

“É um grande projeto de integração de áreas que vai envolver diversos municípios, onde, além de fazer a regularização de áreas, vai trazer novos instrumentos de infraestrutura, aumento de produtividade para inserir os projetos de alta capacidade, assim como os da agricultura familiar, com os novos instrumentos de tecnologia financeira de produtividade e escalabilidade da produção”, destacou o investidor.

Além disso, a PPP ainda inclui a construção de habitações para proprietários, executivos e trabalhadores. Segundo Wellington Dias, o estudo de viabilidade deve ficar pronto até março, quando será apresentado aos investidores. “Tendo viabilidade, o investidor vai na frente organizando a regularização fundiária, com respeito à parte ambiental. É uma solução inovadora e, com certeza, modifica a região para melhor”, pontuou.

O encontro também contou com a presença da superintendente de Parcerias e Concessões do Estado (Suparc), Viviane Moura; do presidente do Instituto de Terras do Piauí (Interpi), Chico Lucas; das secretárias de Planejamento (Seplan) e do Agronegócio (Seagro), Rejane Tavares e Juliana Lima, respectivamente.

O projeto inclui habitações para proprietários, executivos e trabalhadores com foco na qualidade de vida. “O estudo deve ficar pronto até março e, ficando no ponto, vai ser apresentado aos investidores. Tendo viabilidade, o investidor vai na frente organizando a regularização fundiária, com respeito à parte ambiental. É uma solução inovadora e, com certeza, modifica a região para melhor”, comentou Dias.

Rodolfo Santos, representante da CWI Investimentos, que está compondo o consórcio para a realização dos estudos de viabilidade, destacou que o Piauí está inserido na nova fronteira agrícola do país, o Matopiba, que envolve Maranhão, Tocantins, Piauí e o noroeste da Bahia.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Breno Cavalcante, com informações da CCom

Deixe seu comentário