No ano em que assumirá o governo, Regina defende cautela no anúncio de Rafael Fonteles

Curiosamente Regina Sousa seria a maior beneficiada com uma eventual antecipação da saída de Wellington, já que governaria o Piauí por mais tempo

03/01/2022 11:00h

Compartilhar no

A vice-governadora, Regina Sousa, discordou da estratégia defendida por uma ala do Partido dos Trabalhadores de antecipar o anúncio do Secretário de Fazenda, Rafael Fonteles, e de Wellington Dias como pré-candidato ao governo e ao senado, respectivamente. Membros do PT acreditam que lançar Fonteles já em janeiro poderia beneficiar a candidatura do secretário, dando maior visibilidade ao nome dele e antecipando as discussões de um plano de governo. A estratégia, porém, é criticada pelo governador Wellington Dias e a cúpula do governo.

Curiosamente Regina Sousa seria a maior beneficiada com uma eventual antecipação da saída de Wellington, já que governaria o Piauí por mais tempo. De acordo com a legislação, Wellington Dias deve deixar o governo até o dia 03 de Abril, seis meses antes da eleição, em seu lugar assume Regina Sousa. Junto com o governador, devem deixar a gestão estadual aproximadamente onze secretários, todos disputarão vagas na Assembleia Legislativa e na Câmara Federal.

Há quatro meses de assumir o comando do estado, Regina pregou cautela e ressaltou que todo o controle do processo será comandado pelo presidente do partido, Francisco Limma.“Quem está discutindo isso é a executiva estadual, eu não sou da executiva, o escolhido é o Rafael, falta formalizar a data. Pode ser no aniversário do partido em fevereiro, que vai ter uma semana de festividade, mas é o presidente Limma que vai decidir”, concluiu a vice-governadora. 

FOTO: Assis Fernandes/ODIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário