PL tenta atrair Nerinho e Janaína Marques, mas nega convite a Margarete Coelho

O partido tem intensificado conversas para filiar novas lideranças à sigla visando as eleições do próximo ano

06/05/2021 15:11h

Compartilhar no

Se articulando para as Eleições 2022, o Partido Liberal (PL) tenta atrair lideranças políticas para os seus quadros de correligionários, sobretudo parlamentares de mandatos. Entre os alvos dos dirigentes partidários da sigla estão os deputados estaduais Nerinho e Janaína Marques, ambos do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) mas, por conflitos internos, devem buscar uma nova legenda no próximo ano.

Segundo o deputado federal Fábio Abreu (PL), diretamente envolvida nessas tratativas, os convites foram feitos após o impasse entre os petebistas piauienses e a executiva nacional da sigla, que vetou coligações estaduais com partidos de esquerda. Como os parlamentares compõem a base aliada de Wellington Dias (PT), a tendência é serem acomodados dentro deste grupo político, que é o caso do PL.

Fábio Abreu (Foto: Assis Fernandes/Arquivo/ODIA)

“Estamos buscando uma conversa com eles, já que praticamente o PTB não faz mais parte da composição local da qual eles pertencem e eles devem sair do partido. Temos feito esses convites para fortalecer, com esses candidatos que já possuem mandato, mas também dando oportunidade aqueles que não tem mandato mas com a tem intenção de vir ao PL”, revelou o deputado Fábio Abreu ao programa O Dia News.

Por outro lado, Abreu nega todas as especulações envolvendo a chegada de Margarete Coelho (PP) ao PL, como se especulou há algumas semanas. Ele reitera que apesar dos rumores, preferiu, “por uma questão de coerência e até mesmo de educação”, não formular qualquer tipo de convite a mesma, por não vislumbrar qualquer insatisfação dela com sua atual filiação partidária.

“A deputada não declarou oficialmente que estava insatisfeita, que iria ou irá sair do PP. Respeitamos a história dessa excelente parlamentar, que logicamente temos interesse em ter no PL para fortalecer em nossos quadros, mas somente se ela estivesse nessa condição declarada de que sairia do partido. Somente nessa situação faríamos um convite, mas como ela não está, aguardamos”, reforçou Abreu.

O boato de que Margarete Coelho deixaria o PP por outra sigla ganhou força quando ela e outros deputados estaduais progressistas não compareceram ao evento realizado pelo senador Ciro Nogueira para reafirmar a oposição a Wellington Dias. Apesar do episódio, a deputada fez uma publicação enigmática em suas redes sociais, sugerindo que seguiria onde está filiada desde 1993.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário