Quatro deputados federais do Piauí negaram prioridade para tornar pedofilia crime hediondo

Veja como votou cada parlamentar sobre a proposta de inversão na pauta para priorizar a apreciação do Projeto de Lei que torna a pedofilia crime hediondo no Brasil.

21/10/2022 08:56h

Compartilhar no

Na última quarta-feira (19), a Câmara Federal votou a proposta de inversão na pauta para priorizar o Projeto de Lei 1.776/2015, que classifica a pedofilia como crime hediondo no Brasil. O projeto tramita na Casa desde 2015 e tem constado na pauta do Plenário desde maio, mas ainda não foi apreciado. 


Foto: Pablo Valadares/Câmara dos Deputados

Quatro deputados federais piauienses votaram contra a prioridade de discussão do PL. São eles: Átila Lira, do Progressistas; Júlio César, do PSD; Margarete Coelho, do Progressistas; Marina Santos, do Republicanos. Votaram a favor da priorização do PL que torna a pedofilia crime hediondo no Brasil: Fábio Abreu, do PSD; Flávio Nogueira, do PT e Merlong Solano, do PT.

A proposta foi recusada por 224 deputados. Outros 135 votaram a favor para priorizar a votação do projeto. A maioria dos deputados seguiu a orientação do Governo e votou contra o requerimento. A sessão acabou sendo encerrada sem que o projeto fosse apreciado.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no