Sob protestos e forte esquema de segurança, Câmara aprova orçamento de Teresina para 2022

Como noticiou com exclusividade o Portal O Dia, o Prefeito corta verba de áreas essenciais como saúde, assistência social e desenvolvimento rural, para privilegiar pastas políticas

15/12/2021 11:41h - Atualizado em 15/12/2021 12:00h

Compartilhar no

A Câmara Municipal de Teresina  aprovou em dois turnos, na manhã desta quarta (15), o orçamento anual para o ano de 2022. Sob muitos  protestos dos servidores da educação municipal e um forte esquema de segurança, os vereadores de Teresina votaram a matéria que  prevê uma arrecadação de mais de  R$ 4 bilhões para o próximo ano. O orçamento, como noticiou com exclusividade o Portal O Dia, corta verba de áreas essenciais como saúde, assistência social e desenvolvimento rural, para privilegiar pastas políticas comandadas por Dr. Pessoa .  Curiosamente  o orçamente foi aprovado em uma sessão relâmpago, que durou apenas 15 minutosAo longo da votação o presidente da Câmara, Jeová Alencar (MDB), convocou até mesmo a presença da Polícia Militar e o Batalhão de Rondas Ostensivas de Natureza Especial (BPRONE).  Os policiais juntamente com a guarda municipal conteve professores que protestavam com a Prefeitura de Teresina.

O Projeto de Lei Orçamentário Anual 2022 destina, como obriga a legislação, a maior parte de recursos para a Fundação Municipal de Saúde, que receberá R$ 1,1 bilhão. Em seguida vem a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC) que receberá R$ 777 milhões. O instituto de Previdência Municipal (IPMT) será o terceiro maior orçamento em 2022 recebendo R$ 471 milhões. Curiosamente a Secretaria de Finanças, administrada pelo vice-prefeito, Robert Rios, apesar de ser uma pasta técnica, de articulação, será o quarto maior orçamento, recebendo R$ 353 milhões.  

O vereador Paulo Lopes (PSDB), criticou o caráter político do orçamento e a retirada da verba em áreas essenciais como saúde e assistência social.  “Hoje foi votado em duas votações o orçamento, estivemos analisando, embora tenha aumentado para 2022, algumas áreas deveria ter sido mais valorizadas. Na área de assistência social houve redução, por exemplo. Na área da produção agropecuária a secretaria foi criada e não se mostrou a que veio, as pessoas que trabalham nas hortas comunitárias de Teresina estão reclamando muito a assistência que sempre foi dada em anos anteriores. O orçamento foi aprovado e agora iremos a partir de janeiro acompanhar e cobrar as ações. Áreas para a saúde também onde houve redução nos preocupam”, lamentou o parlamentar.

FOTO: Assis Fernandes / ODIA

Já o líder do prefeito na Casa, Renato Berger, valorizou a articulação para a aprovação do orçamento e ressaltou que o fim da pandemia pode dar um fôlego econômico a gestão. “ A votação do orçamento foi tranquila, todo ano temos muita discussão e graças a Deus foi tudo certo e aprovado. O Prefeito olha muito para a questão social, há um bom investimento nesta área. Os compromissos são evidentes, aquilo que é de lei, na educação sempre se procura investir. O volume que foi investido na Saúde ano passado e este esperamos que se minimize neste ano, que comece a se engrenar, que essa Covid passe. Sendo feito isso tem orçamento para fazer as obras, agora sim é o orçamento feito pelo Dr. Pessoa”, concluiu o líder do prefeito. 

FOTO: Assis Fernandes/ODIA



É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário