Câmara aprova 13º só em 2022 e servidores temporários chamam Pessoa de caloteiro

A Casa já inicia o recesso de final de ano e só retorno em fevereiro de 2022, cerca de 46 dias de

17/12/2021 12:28h - Atualizado em 22/12/2021 12:05h

Compartilhar no

A Câmara Municipal de Teresina aprovou, na manhã desta sexta-feira (17), alterações na Lei de contratações de servidores temporários do município e iniciou o recesso até o mês de fevereiro, cerca de 46 dias de afastamento. Mais uma vez a sessão foi dominada por protestos de servidores que estiveram na Casa cobrando o pagamento do 13° salário em 2021. Sem o amparo legal, os profissionais ficarão sem o 13° salário em 2021, já que o projeto estipula que somente a partir de 2022 a verba seja paga. Indignados, os servidores temporários chamaram Dr. Pessoa de "caloteiro", pelo não pagamento do 13°. 

(Foto: ODIA)

Mesmo não representando os servidores temporários, o Sindicato dos Servidores Municipais criticou a medida é lamentou o "calote", comi diz o coordenador geral do Sindserm, Sinésio Soares. "Eles aprovaram uma lei que garante, a partir do ano que vem, o pagamento do 13° e as férias. Basta fazer uma emenda e colocar a vigência deste direito, que já era pago anteriormente, em 2021. Eles vão ter que trabalhar dois anos para receber um 13°, isso é possível legalmente, basta a vontade política. Lamentamos o desrespeito com os servidores", lamentou

Mesmo o 13° tendo sido pago em todos os anos anteriores, o líder de governo na Câmara, Renato Berger (PSD) afirmou ser impossível o pagamento em 2021. "A lei não permite, você não pode ferir a constituição, o prefeito tinha interesse e mandou para a Procuradoria para pagar esse ano ainda, mas não é possível, o parecer da Procuradoria foi contrário. Foi aprovada a lei e a partir do ano que vem todos terão direito", concluiu o vereador. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário