João Magalhães

Danos morais: Thanandra Sarapatinhas é condenada a indenizar vizinha em R$ 25 mil

Em 2020, Thanandra gravou e publicou nas redes sociais, vídeos com fortes ofensas e em que acusava Creusa Araújo de envenenar um cachorro.

06/05/2022 15:34h - Atualizado em 06/05/2022 18:08h

Compartilhar no

Uma decisão da 10ª Vara Cível de Teresina condenou nesta quinta-feira (05) a vereadora Thanandra Sarapatinhas a indenizar em R$ 25 mil, por danos morais, a senhora Creusa Marques de Araújo, vizinha da parlamentar. Em 2020, Thanandra gravou e publicou nas redes sociais, vídeos em que acusava Creusa Araújo de envenenar um cachorro. Além dos vídeos, a Justiça reconhece que Sarapatinhas não se limitou a divulgar ofensas na internet, “pois passou a adotar atos materiais na porta da casa da autora da ação (Creusa), direcionando insultos com um grupo de pessoas”.

Segundo a decisão, durante a manifestação com buzinaços, cartazes e carro-de-som em frente a casa de Creusa Araújo, alguns dos presentes chegaram a ameaçá-la e utilizar vocabulário chulo, direcionado a atingir a honra da acusada. Sarapatinhas alegou em sua defesa que não quis ofender ninguém, apenas divulgar informações relacionadas à morte dos animais.

Creusa Araújo chegou a ser investigada, mas não foi indiciada após a Polícia Civil não encontrar materialidade nas acusações proferidas por Thanandra Sarapatinhas. Em depoimento à Polícia, uma testemunha afirmou que a acusada confessou ter envenenado o animal.  

Outro lado

A equipe jurídica da vereadora e protetora de animais, Thanandra Sarapatinhas informa que, quando for intimada oficialmente, irá recorrer da decisão do juíz da 10a Vara Cível, Edson Alves, que a condenou a pagar R$ 25 mil mais os custos processuais do caso. 

A equipe jurídica informa que ficou sabendo da decisão através da imprensa, não tendo sido intimada oficialmente. A assessoria jurídica destaca que recebe a informação com surpresa, uma vez que este é um caso complexo em que há mais provas a serem produzidas. 

O jurídico relembra também que nenhuma audiência acerca do caso julgado sequer foi marcada, resguardando-se a decisão ao mérito da causa. A equipe acrescenta que apresentou várias provas comprovando a versão da vereadora havendo, inclusive, uma investigação da polícia sobre os fatos apresentados.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário