João Magalhães

Ônibus: PMT decreta estado de calamidade para tentar solucionar crise em 180 dias

No documento, o prefeito Dr. Pessoa reconhece a precariedade dos serviços prestados no sistema

28/10/2021 20:11h - Atualizado em 28/10/2021 20:35h

Compartilhar no

O prefeito de Teresina, Dr. Pessoa (MDB) assinou o decreto que declara em estado de calamidade pública a prestação de serviços de transporte coletivo urbano de Teresina, que terá duração de até 180 dias para apresentar resultados. É mais um capítulo da novela que tem deixado a população de Teresina sem ônibus. O documento assinado pelo prefeito não traz novidades e apenas autoriza a Strans a tomar decisões para solucionar o problema – o que já poderia ter sido feito.


Foto: Assis Fernandes/ODIA

No documento, o prefeito Dr. Pessoa reconhece a precariedade dos serviços prestados no sistema em Teresina e a instabilidade que o setor enfrenta. O gestor toma a decisão considerando os descumprimentos de acordos extrajudiciais fechados entre o Município e as empresas com contrato em vigência para prestar serviços de transporte coletivo aos teresinenses. O texto também cita as greves e os desentendimentos entre as categorias de empresários e trabalhadores.


LEIA TAMBÉM: "Calamidade no transporte público é causada pela Prefeitura", diz Setut 
Sintetro diz que não recebeu ordem de serviço da Strans para frota mínima circular 


Entre as principais medidas autorizadas pelo prefeito para a Strans tentar solucionar os impasses estão determinar que as “concessionárias do serviço e transporte público cumpram as Ordens de Serviços exaradas pela STRANS, podendo esta adotar medidas complementares com o intuito de garantir a execução contratual” e “adotar medidas visando a contratação emergencial de empresa(s) de transporte coletivo.

Foto: Assis Fernandes/ODIA

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário


Notícias Relacionadas