"œComprem no comércio do Piauí", apelam lojistas para consumidores

O setor é atingido pelas medidas restritivas contra a disseminação do novo coronavírus

15/04/2021 15:53h - Atualizado em 15/04/2021 16:08h

Compartilhar no

O Sindicato dos Lojistas do Piauí (Sindilojas/PI) lançou uma frente para incentivar os consumidores a comprarem no comércio lojista do próprio estado. Com as medidas restritivas contra a disseminação do novo coronavírus adotadas do Piauí, os empresários somam os prejuízos e colocam em xeque a manutenção de empregos e o compromisso com os encargos fiscais. 

Para Tertulino Passos, presidente do Sindilojas/PI, uma das alternativas é sensibilizar os consumidores para comprarem nas lojas piauienses para garantir o dinheiro circulando nos municípios. Ele enaltece o varejo local ao comentar sobre a diversidade de produtos e a atuação dos empreendimentos nos mais diversos segmentos. 


Leia tambémAgências do INSS abrirão para Perícia Médica nesta sexta (16) 


“Nosso comércio possui uma diversidade de lojas dos mais variados segmentos, então não é preciso buscar produtos em outros estados. Além disso, com o comércio aquecido, novos estabelecimentos percebem a oportunidade de vender também”, afirmou Tertulino.

Foto: Jailson Soares / O Dia

O gestor lembrou que o setor ficou seis meses fechado no ano passado durante a primeira onda da Covid-19 e sofreu muitos prejuízos. Agora, com o avanço de novos casos e e aumento de mortes no que é considerado a segundo onda, os lojistas voltaram a ser atingidos com medidas restritivas em alguns dias da semana, o que agravou a recuperação do setor. 

“Estamos tentando se adequar novamente a ficar de portas fechadas em alguns dias da semana. Por isso que neste momento nós fazemos até um apelo para os piauienses: vamos valorizar o nosso comércio, pois a medida que podemos adotar é fortalecendo cada negócio, isso contribui até para a chegada de investimentos em infraestrutura”, pede Tertulino Passos. 

Lockdown 

A partir desta sexta-feira (16) até o próximo domingo (18) somente os serviços considerados essenciais, como  mercearias, supermercados, padarias e afins, farmácias, oficinas mecânicas e borracharias, poderão funcionar na capital e no interior do Piauí. O decreto do Governo do Estado prevê ainda o funcionamento com 25% da capacidade de templos, igrejas, centros espíritas e terreiros.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário