Advocacia do interior do Piauí merece protagonismo, defende Carlos Junior

Carlos Junior criticou os privilégios dispensados para advogados que chamou de “advogados de sobrenome”.

29/12/2021 16:36h - Atualizado em 29/12/2021 16:55h

Compartilhar no

Eleito conselheiro federal da OAB Piauí, o advogado Carlos Junior afirmou que a defesa da advocacia do interior do Piauí será uma das pautas de sua atuação no cargo. Ele declarou que os advogados do interior do estado devem ter um protagonismo reconhecido pela categoria.


Leia tambémCelso Barros critica ataques e defende reformulação da eleição da OAB 


Carlos Junior, que presidente a subseção da Ordem na cidade de Barras, citou como exemplo a atuação dos advogados da região dos cocais durante a pandemia da Covid-19, que conseguiram ser incluídos como serviço essencial nos decretos municipais. 

Foto: Otávio Neto / O Dia

“Tivemos, por exemplo, no início da pandemia os escritórios fechados. Mas logo, logo a subseção de Barras uniu forças com a advocacia da região e fomos os precursores em abrir os escritórios de advocacia. Evidentemente seguindo todas as recomendações sanitárias. Entramos com um mandado de segurança e os prefeitos da região foram obrigados a colocar a advocacia como serviço essencial”, citou. 

Carlos Junior criticou os privilégios dispensados para advogados que chamou de “advogados de sobrenome”. “O jovem advogado precisa ter acesso a todos os órgãos. Infelizmente ainda temos os advogados de sobrenome. Queremos que as prerrogativas sejam mantidas para todos os jovens advogados para quando eles cheguem a um órgão público ele seja respeitado porque ele tem a carteira de advogado”, declarou em entrevista ao programa O Dia, News, da O Dia Tv. 

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário