Após decreto, escolas no Piauí seguirão funcionando em modelo híbrido

O decreto de ontem (23) não alterou o funcionamento das instituições de ensino público e privado do estado. Aulas remotas e presenciais poderão ser alternadas de segunda a sexta.

24/02/2021 12:27h

Compartilhar no

Quando na última segunda-feira (22), o governo do Piauí anunciou que implantaria medidas mais severas para conter a disseminação da covid-19 no Estado, pais, professores e alunos das redes pública e privada de ensino se pegaram perguntando como ficaria o funcionamento das escolas, já que algumas se preparavam para o retorno presencial agora no mês de março.

Na tarde da segunda-feira, pais e professores fizeram protesto em Teresina exigindo o retorno do funcionamento presencial das escolas, alegando prejuízos aos alunos com o ensino remoto. No decreto publicado ontem (23), o governo não mencionou nenhum item a respeito de como ficará a educação com o agravamento da crise causada pelo coronavírus.

As escolas da rede pública e privada do Estado continuarão funcionando como estão atualmente: podendo operar no modo híbrido, com aulas presenciais e remotas alternadas de segunda a sexta-feira. A informação foi confirmada à reportagem do Portalodia.com pelo secretário de Comunicação do Governo do Piauí, Alisson Bacelar nesta quarta (24).

De acordo com ele, o decreto de ontem (23) não impõe nenhuma alteração no funcionamento das instituições de ensino do Estado, vigorando o que já havia sido determinado nos decretos anteriores.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Redes Municipal e Estadual

Ao final de janeiro, o secretário municipal de Educação de Teresina, Nouga Cardoso, havia anunciado que devido ao aumento nos casos de covid-19 na cidade, o calendário de aulas para 2021seria rediscutido. Diante do quadro, as escolas da rede pública de Teresina só deveriam retornar de forma remota. Hoje (24), a Semec (Secretaria Municipal de Educação) confirmou que ficou definido o ensino à distância com início marcado para o dia 01 de março.

Já a rede estadual de ensino público retornou no começo de fevereiro com o modelo remoto, mas no momento as escolas estão finalizando a escuta da rede para montar o retorno híbrido (remoto e presencial alternados). A Seduc (Secretaria Estadual de Educação) ainda não estipulou uma data para que esse retorno híbrido ocorra.


Leia também: Pesquisa aponta medo dos pais no retorno dos filhos as escolas



Foto: O Dia

Rede particular

Com relação às escolas particulares, os estudantes voltaram às aulas em 18 de janeiro, conforme liberação mediante decreto, mas o ensino ocorria em sistema híbrido para evitar a lotação total das salas. As instituições poderão continuar operando nesse modelo, conforme explicou o Governo, mas sem previsão para retorno presencial pleno.

Na manifestação desta terça-feira (23), pais e professores chegaram a bloquear a Avenida Frei Serafim, temendo que o Piauí suspendesse as aulas presenciais. Donos de escolas particulares disseram que impedir o retorno pleno das instituições de ensino seria “ignorância e irresponsabilidade”, porque penalizaria não só as escolas, mas os pais e os alunos também. 

“O governo tem que aumentar a rede hospitalar e trabalhar pela vacina, não ficar culpando e jogando para as escolas, atribuindo às aulas presenciais”, destacou o professor e empresário Gilberto Campelo na ocasião. 

Nesta quarta-feira (24), o Portalodia.com tentou contato com o presidente do Sindicato dos Donos de Escolas Particulares do Piauí, Marcelo Siqueira, para falar sobre a manutenção do sistema de ensino híbrido, mas até o momento não obteve retorno. O espaço fica aberto para futuras manifestações.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário