Chuvas no Piauí devem se tornar mais frequentes até o final do ano

Projeções apontam que os meses de janeiro e fevereiro de 2022 terão bom desempenho pluviométrico embora chuvas na primeira quinzena de fevereiro tenham sido irregulares.

13/12/2021 11:44h

Compartilhar no

Com a proximidade do final do ano, o que muitos piauienses começam a se perguntar é quando o período chuvoso de fato chegará para ficar. Se a virada do ano de 2020 para 2021 foi marcada por um temporal que atingiu Teresina e deixou rastros de destruiçã, há possibilidades de que a virada de 2021 para 2022 siga na mesma linha. Não significa que o réveillon será marcado por uma chuva torrencial, mas as projeções climatológicas apontam que até o final de dezembro, as precipitações se tornarão mais frequentes e mais regulares no Estado.


Foto: Maria Clara Estrêla/O Dia

Isso deve acontecer porque, durante este ano, houve um aquecimento maior do Oceano Atlântico em relação a 2020. Isso, associado à fraqueza do fenômeno La Niña, favoreceu as chuvas do B-R-O-Bró e permitiu ao Piauí ter uma pré-temporada com boas chuvas, algumas não apenas localizadas, mas torrenciais e distribuídas por todo o Estado. Há uma tendência de que dezembro se situe dentro desta média muito embora as chuvas tenham dado uma oscilada nesta primeira quinzena.

Quem explica é o climatologista Werton Costa: “Tanto em 2020 quanto em 2021 estávamos em quadro de La Niña fraca ou moderada, mas em 2020, o Oceano Atlântico estava com águas frias e uma temporada chuvosa vigorosa depende de uma contribuição do Atlântico. Isso dificultou a entrada de canal de umidade na região Nordeste e atrapalhou nossa pré-estação. Porém, em 2021, tivemos uma La Niña fraca associada a um quadro de aquecimento do Atlântico. Esse aquecimento favoreceu as chuvas do B-R-O-Bró e há essa tendência efetiva de que dezembro possa se situar dentro da média”.


Foto: Jailson Doares/O Dia

Nesta segunda-feira (13), o Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) divulgou os gráficos de análise comparativa de precipitação de 2020 e 2021, especificamente a fase do B-R-O-Bró. A amostra de que este ano foi atípico para o período mais quente do ano vem no fato de que novembro de 2021 registrou volume de chuva maior que novembro de 2020. No ano passado, a região Nordeste registrou volume de chuva na casa dos 68%. Este ano, esse índice foi de 86%.

De acordo com Werton Costa, as projeções climatológicas para o começo de 2022 apontam os meses de janeiro e fevereiro, ao menos nas faixas Norte e Centro-Norte do Piauí, podem ter um bom desempenho pluviométrico, ou seja, chuvas mais frequentes e intensas. Mas como se tratam apenas de projeções, estas análises podem ser atualizadas até o final do ano.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário