Clínica: Apipa recebe R$100 mil para compra de equipamentos veterinários

O recurso é proveniente de emenda parlamentar do deputado estadual, Fábio Novo (PT)

30/12/2021 13:00h - Atualizado em 30/12/2021 13:13h

Compartilhar no

O deputado estadual Fábio Novo (PT) usou suas redes sociais para divulgar uma boa notícia aos amantes de animais. A Associação Piauiense de Proteção e Amor aos Animais (Apipa) recebeu $100 mil, proveniente de emenda parlamentar, para aquisição de equipamentos para sua clínica veterinária. A clínica era um desejo antigo da ONG e dará suporte no atendimento e realizações de serviços e cirurgias aos animais atendidos pela entidade.

Segundo Isabel Moura, uma das fundadoras da Apipa, lembra que o recurso foi adquirido com muito esforço, especialmente porque não existem secretarias voltadas exclusivamente para a causa animal, o que facilitaria na hora de destinar recursos. “Foi muita luta para o deputado conseguir esse recurso, tentou de todo jeito e batalhou até que deu certo. Inclusive, já vamos começar a comprar os equipamentos e prestar contas, por notas fiscais, de tudo que for adquirido”, pontua.

Inicialmente, o centro cirúrgico será utilizado para castrar todos os cães e gatos acolhidos pela Apipa. Além disso, também serão atendidos animais resgatados por outras ONGs de protetores, bem como de família carentes. "Daremos preferência para as ONGs que lutam pela causa, mas também algumas pessoas que têm animais no entorno da Apipa, famílias carentes que queiram castrar seus animais, e assim vamos estendendo aos poucos. Tudo isso vai precisar de uma equipe veterinária que possam ir nos ajudar com essa parte", diz.

Isabel Moura, entretanto, faz uma ressalva. Ela lembra que os serviços disponibilizados na clínica veterinária não serão gratuitos, uma vez que é necessário arcar com os custos dos insumos utilizados nos procedimentos. Deste modo, será cobrado apenas um valor simbólico, de modo a cobrir somente os materiais utilizados nos procedimentos realizados. 

(Foto: Arquivo ODIA)

“A gente conseguiu os equipamentos, mas para funcionar precisa ter tudo, medicamentos, materiais, anestesia. Infelizmente não temos como manter um centro cirúrgico funcionando gratuitamente para todo mundo. Se for feito um convênio entre a Prefeitura de Teresina ou o Governo do Estado seria possível”, enfatiza Isabel Moura, da Apipa.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário