Com queda de 90% nas corridas, motoristas de aplicativo contabilizam prejuízos

Motoristas do Piauí dizem que empresas não estão pagando os auxílio financeiros e não se manifestam sobre ajudar na compra de material de higienização dos carros.

02/04/2020 12:22h - Atualizado em 02/04/2020 13:21h

Compartilhar no

Com a pandemia do Novo Coronavírus e os decretos de emergência determinando o isolamento social, o fluxo de pessoas circulando pelas cidades e utilizando os meios de transporte tem reduzido bastante. Quem está sentindo isso de maneira mais contundente são os motoristas de aplicativo, que dependem das corridas para poder sobreviver. 

De acordo com a Associação dos Motoristas de Aplicativo do Piauí (ABMAP), houve uma queda de 90% nas solicitações de corrida ao longo das últimas semanas no Estado, sobretudo em Teresina. Isso acabou gerando uma diminuição na arrecadação por parte desses profissionais, que muitas vezes ficam sem condições de arcar com as despesas de casa e de abastecer seus veículos para rodar e continuar trabalhando.

A situação é considerada preocupante pela entidade representante da categoria. Para tentar chegar a uma solução, a ABMAP acionou através de ofício as empresas de transporte por aplicativo que operam no Piauí atualmente: a Uber e a 99 Pop. A intenção é buscar um maior suporte aos motoristas e garantias de que eles não fiquem desassistidos durante esta crise.


Foto: Reprodução

Mas até agora, a categoria não obteve retorno das empresas. “Eles divulgam que estão ajudando o motorista pagando um valor de até R$ 300 por 14 dias, só que os motoristas que pararam por conta de suspeita de Covid-19 não obtiveram essa ajuda”, diz João Francisco. 

Outro ponto que ele menciona diz respeito à higienização dos veículos. “Em São Paulo, por exemplo, a 99 tem uma máquina que faz a limpeza e higienização do veículo e durante três dias ele fica esterilizado, mas aqui essa máquina ainda não chegou. Estamos nos sentindo de certa forma abandonados pelas plataformas”, afirma João Francisco, lembrando que os motoristas estão com dificuldade de encontrar máscaras e álcool em gel para manter a higienização mínima durante o trabalho e garantir ao passageiro sua integridade física.

O que dizem as empresas

Em seus sites oficiais, tanto a Uber quanto a 99 Pop disponibilizam informações quanto aos procedimentos adotados para auxiliar seus prestadores de serviço neste período de pandemia. 

Quanto à ajuda financeira, a Uber diz que ela será dada somente aos motoristas ou entregadores diagnosticados com Covid-19 ou que tiverem em quarentena solicitada por alguma autoridade pública. A ajuda de custo tem duração de 14 dias e seu valor será determinado pelo cálculo do ganho diário daquele colaborador nos últimos seis meses.

A empresa esclareceu ainda que para ter direito ao auxílio financeiro, o colaborador deve enviar uma série de documentos para a Uber comprovando que está contaminado pelo Coronavírus e solicitando o benefício. O prazo de resposta da plataforma é de cinco dias já com a liberação do auxílio.

A Uber informou ainda que está reembolsando seus motoristas em até R$ 20,00 para que eles possam adquirir álcool em gel e máscaras para garantir a higienização de seus veículos. O reembolso, no entanto, só será feito mediante comprovação da compra dos itens por nota fiscal. Para solicitar a devolução do valor gasto, o motorista deve acessar a aba “Reembolso de Álcool em Gel COVID-19” em seu aplicativo.


Foto: O Dia

Já no site da 99 Pop não há informações sobre ajuda de custo, mas a empresa diz que criou um vale corrida pré-pago para transportar colaboradores e clientes da plataforma que precisam ir para o trabalho durante a quarentena. Quanto à informação da ABMAP de que a ajuda para desinfecção dos carros ainda não chegou ao Piauí, a 99 diz que se trata de um projeto piloto ainda concentrado em São Paulo, mas que este mês ele chegará a cidades como Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Porto Alegre, podendo ser liberado também a outras capitais posteriormente.

A reportagem do Portal O Dia entrou em contato com as respectivas assessorias da Uber e da 99 Pop. A Uber já se manifestou por meio de nota e, além das informações já disponibilizadas no site e citadas acima, disse que também utiliza o aplicativo como canal de informação, lembrando a todos seus mais de 22 milhões de usuários, motoristas e entregadores parceiros em como seguir as instruções das autoridades de saúde pública. A empresa tem divulgado as informações compartilhadas pelos canais oficiais do Ministério da Saúde.

"A Uber mantém uma equipe multidisciplinar, disponível 24 horas por dia, para auxiliar as autoridades de saúde pública em seu plano de resposta contra a pandemia. A empresa também conta com a consultoria de um epidemiologista para garantir que as medidas tomadas sejam embasadas em orientações e evidências médicas".

A reportagem ainda está no aguardo do retorno da 99 Pop com os esclarecimentos mais detalhados sobre a situação de seus motoristas de aplicativo.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Maria Clara Estrêla

Deixe seu comentário