Covid-19: No Piauí, março teve o menor número de casos e óbitos desde maio de 2020

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), o Piauí contabilizou 2.476 casos e 44 mortes por covid-19 no último mês.

01/04/2022 09:10h - Atualizado em 01/04/2022 09:33h

Compartilhar no

Dois anos após o início da pandemia da covid-19, os números da doença finalmente estão apresentando uma  queda expressiva no Piauí. O resultado disso é que o mês de março registrou o menor número de casos e mortes provocadas pela covid desde maio de 2020, início da primeira onda no estado. No último domingo (27), por exemplo, foi a primeira vez que o estado não registrou nenhum caso ou óbito por covid-19 em um intervalo de 24 horas.

Segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), o Piauí contabilizou 2.476 casos de covid-19 no último mês. Ao todo, 44 pessoas morreram em decorrência da doença em março, uma média de 1,4 mortes por dia. O número representa apenas 4% do número de óbitos registrados no pico da pandemia, em abril de 2021, quando 1.089 óbitos ocorreram. Na época, o Piauí teve uma média de 35 mortes por dia. Veja no gráfico abaixo a evolução de casos e óbitos no Piauí:

Para as autoridades em Saúde, os baixos índices da doença são um reflexo do avanço da vacinação no Piauí. De acordo com os últimos dados do Vacinômetro, 82,22% da população piauiense já está com a imunização completa no estado e 92,85% tomou, pelo menos, uma dose. Em relação à dose de reforço, pouco mais de 39% já retornaram para a dose adicional.

Segundo a FMS, a dose de reforço reduziu em 99,8% a chance de morte por COVID-19 no pico da variante Ômicron em Teresina. De acordo com o órgão, estudos realizados pelo Comitê de Operações Emergenciais (COE) apontam que as pessoas vacinadas com dose de reforço tiveram risco de morte 99,8% menor que pacientes não vacinados e 65% menor que pacientes que receberam duas doses de esquema duplo (AstraZeneca, Coronavac e Pfizer) ou uma dose do esquema de aplicação única (Janssen). 

“Estes dados reforçam a necessidade da população procurar sua dose de reforço e, nas situações já indicadas, a sua quarta dose, para que a programação de flexibilização das medidas excepcionais de contenção da COVID-19 possa ser mantida ou até mesmo avançar”, avalia o infectologista do COE, Kelsen Eulálio. 

O presidente da FMS, Gilberto Alburquerque, afirma que embora Teresina já apresente 95% da população imunizada com esquema duplo ou de dose única, o percentual da população com dose de reforço ainda está baixo, em 45,25%. “Motivo pelo qual fazemos o apelo para que todos procurem os postos de vacinação para atualizarem o seu calendário”.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário