Covid-19: Piauí intensifica barreiras sanitárias em divisa com o Maranhão

As equipes do Busca Ativa estavam orientando à população na entrada da Ponte da Amizade, localizada na avenida Maranhão, em Teresina.

26/05/2021 11:12h

Compartilhar no

Na manhã desta quarta-feira 26, foram iniciadas barreiras sanitárias nas divisas do Piauí com o estado do Maranhão, para identificar casos suspeitos da variante indiana da Covid-19. As equipes do Busca Ativa estavam orientando à população na entrada da Ponte da Amizade, localizada na avenida Maranhão, em Teresina.

As equipes coletaram informações da população, além de acompanhar se alguém apresentava algum sintoma, dando orientações e encaminhamentos adequados para cada situação. De acordo com o superintendente de Atenção Primária à Saúde e Municípios da Sesapi, Herlon Guimarães, as barreiras irão acontecer em 25 pontos, pelo tempo que for necessário.


(Foto: Sesapi/ Divulgação)

“A barreira sanitária funciona no caráter de elucidação, explicação e chamada de atenção para toda população. A variante indiana da covid-19 vai existir e tantas outras, o que temos que ter cuidado é com as medidas de prevenção para barrar qualquer variante que esteja circulando no nosso País”, alerta Herlon Guimarães.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Florentino Neto, as barreiras é um cuidado a mais para evitar a disseminação da Covid-19 no Estado. “ As medidas mais efetivas é que a gente mantenha o distanciamento, evite aglomerações, possa continuar usando máscaras, higienizando as mãos água e sabão ou álcool em gel. E que possamos estar conscientes de só sair de casa quando efetivamente necessitar, porque a covid-19 ainda é uma realidade”, diz.

O secretário lembra ainda que no Estado do Piauí que há lotação dos leitos , os índices de óbitos  tendem a reduzir ou estabilizar, mas o risco de uma terceira onda é eminente. Sobre a situação dos hospitais, Florentino afirma que é preciso que os municípios e o Estado atuem em conjunto.


(Foto: Sesapi/ Divulgação)

“Nós estamos com os nossos hospitais divididos em dois, nós praticamente triplicamos a capacidade de terapia intensiva, os custos do Estado são grandiosos. Estamos precisando do apoio financeiro para que possamos continuar mantendo todos os serviços”, explica.

A ação teve acompanhamento direto da Policia Militar, que esteve no local apoiando a realização da barreira e garantindo que as equipe do Busca Ativa pudessem realizar os trabalhos de abordagem e diálogo com a população. “Nosso trabalho aqui é ajudar na realização das barreiras, garantindo a segurança tanto da população, como das profissionais que fazem as abordagens. Dessa forma, garantimos que as barreiras sanitárias sejam executadas de forma correta”, aponta o tenente coronel da polícia militar Francisco Ramos.

(Foto: Sesapi/ Divulgação)

A coordenadora do programa Busca Ativa, Dilia Falcão destaca que as barreiras tem a função de conscientizar a população e que a cooperação popular é essencial para que as ações atinjam seus objetivos. “As pessoas precisam entender que a pandemia não acabou, e nossas barreiras estão ai não somente para fiscalizar, mas para ter essa conversa sobre o tema, explicar para as pessoas que agora mais do que nunca é necessária a manutenção dos cuidados de prevenção a Covid-19. Não podemos negligenciar esses cuidados, usar máscara, utilização do álcool em gel, limpeza das mãos entre as outras medidas ainda são as principais formas de evitar uma propagação do vírus”, aponta Dilia.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário