Covid-19: profissionais da saúde denunciam redução de 50% no salário

Segundo a categoria, houve redução dos valores dos plantões, corte da insalubridade e até contracheques zerados.

27/02/2021 16:11h - Atualizado em 27/02/2021 16:29h

Compartilhar no

Os trabalhadores da saúde, que atuam na área de frente do combate à Covid-19 em Teresina, denunciaram ao PortalODia.com, que houve uma diminuição de 50% no contracheque dos servidores da Fundação Municipal de Saúde (FMS).


Leia também:

Profissionais da Saúde fazem novo protesto contra corte na insalubridade 

Covid-19: Piauí perdeu 165 leitos de UTI desde julho do ano passado; 136 em Teresina 

35 profissionais de saúde de Teresina testam positivo para coronavírus 


"Foi reduzido abusivamente os salários dos profissionais da linha de frente contra coronavirus. Tem técnicos em enfermagem que vão receber R$ 500,00 e Enfermeiros que receberão R$ 1.600,00. Houve reducação̧ de mais de 60% do salário", afirma profissional- que não quis se identificar.

Diante da situação, o Conselho Regional de Enfermagem (Coren-Pi), divulgou um manifesto repudiando as ações da FMS em relação ao pagamento dos servidores, o órgão afirma que a categoria foi surpreendida com:

1.A redução da insalubridade para os trabalhadores da Ala Covid, que receberam apenas 20% do acordado;

2.Diminuição de 50% dos valores pagos nos plantões;

3.Não pagamento do repasse para as equipes das Unidades Básicas de Saúde, referentes ao programa Previne.

"Diante da Pandemia que Teresina se encontra, no pico da doença, com quase 100% dos leitos ocupados, essa foi uma atitude inadmissível e desrespeitosa a todos os profissionais que estão nessa batalha", afirma Coren. 

(Foto:Mário Oliveira/Fotos públicas)

Manifestação 

Após as reclamações dos servidores, o Sindicato dos Fisioterapeutas e Terapeutas Ocupacionais do Estado do Piauí (Sinfito-Pi) também se manifestou e iniciou uma convocação para uma manifestação, que irá ocorrer no dia 02 de março, em frente a Prefeitura Municipal de Teresina (PMT). Os profissionais alegam:

1.  Corte  na  majoração  do  adicional  de  insalubridade  de  40%  (para  os  profissionais  dos  setores  e  serviços  COVID),  e  em  alguns  casos  corte  total  desse adicional; 

2.  Corte de  adicional  noturno; 

3.  Redução nos  valores  dos  plantões; 

4.  Redução no  valor  do  vencimento  dos  profissionais  dos  setores COVID; 

5.  Perdas  na  remuneração  total  chegando  a  50%; 

6.  Contracheques  zerados; 

Outro Lado

A Fundação Municipal de Saúde (FMS),  informou ao PortalODia.com, que não houve redução real de salários dos profissionais que trabalham na área da saúde de Teresina. 

"Os salários, insalubridade e plantão estão sendo pagos rigorosamente em dia. O que houve foi o fim do acréscimo temporário (até dia 31 de dezembro de 2020)  de 20%  no valor da insalubridade que foi autorizado pelo Governo Federal, através do Ministério da Saúde,com aporte de recursos específico para essa finalidade", explica FMS. 

A Fundação afirma ainda, que no caso de segundo turno, também está sendo pago para os servidores cujos setores comprovem a necessidade. "A FMS informa ainda que todas as medidas foram discutidas com as diretorias e informadas ao sindicato da categoria", finaliza.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário