Fogos de artifício podem prejudicar a saúde do animal, alerta veterinária

Segundo a médica veterinária Tanísia Kelly, o medo de fogos é determinado pela audição sensível dos cães, que ouvem até seis vezes mais do que os humanos.

31/12/2016 08:52h

Compartilhar no

Os fogos de artifício são artefatos comumente usados para celebrar a chegada do Ano Novo. No entanto, a prática que é adotada pela maioria da população pode causar sérios danos à saúde dos animais, em especial aos cães. Devido ao medo do barulho causado pelos fogos, os cães podem apresentar crises convulsivas, choques anafiláticos, paralisia de membros e até mesmo hemorragias. 

Segundo a médica veterinária Tanísia Kelly, o medo de fogos é determinado pela audição sensível dos cães, que ouvem até seis vezes mais do que os humanos e podem ouvir barulhos em até 2 km de distância. Por isso, os donos de cães devem ficar atentos a alguns cuidados para evitar danos à saúde dos animais. 

Tanísia orienta que animais fiquem em locais tranquilos e confortáveis (Foto: Assis Fernandes/ O Dia)

A médica veterinária destaca que é importante deixar o animal em um ambiente tranquilo, evitar dar comida e mantê-lo amarrado. Em casos em que o cão apresente uma reação excessiva aos fogos, como crises convulsivas, choques anafiláticos, paralisia de membros e hemorragias, o dono deve procurar o médico veterinário imediatamente. 

“Não pode dar comida para o animal, porque ele pode vomitar e acabar sendo sufocado por esse vômito. Além disso, não devemos manter o cachorro amarrado, porque ele pode se enforcar com a coleira. É importante que o dono fique perto, coloque-o dentro de um ambiente tranquilo e tranquilize o animal, mas sem tocá-lo, para não reforçar o medo dele”, explica. 

Tanísia Kelly explica ainda que não é possível curar o medo do animal, mas é possível tranquilizá-lo para que ele não sofra com o barulho. Ela ressalta ainda que o medo do barulho de fogos de artifício também pode causar atropelamentos; por isso, os donos devem manter o animal em um ambiente fechado, para impedir fugas. 

“Aqui no Hospital Veterinário, tivemos um caso de um cão que fugiu de casa por causa de fogos e, ao sair para a rua, ele foi atropelado por um ônibus e infelizmente não pudemos salvá-lo. Por isso, é importante que os donos mantenham o animal em um ambiente fechado e tranquilo, para que ela não fuja e isso acabe acontecendo”, relata. 

A fotógrafa Camila Fortes é dona de Tião, um pinscher de 12 anos. O pinscher tem muito medo do barulho causado pelos fogos; por isso, a família tenta tranquilizá-lo deixando em um ambiente calmo e confortável. “Nós deixamos ele no quarto e tentamos acalmá-lo até acabar os fogos, para mostrar que está tudo sob controle e tentar diminuir o medo dele”, relata. 

Técnica contra o medo 

Outra técnica que pode ser utilizada para amenizar o medo dos cães de fogos de artifício é o método Tellington Touch. Os animais que possuem esse medo também têm grande sensibilidade nas regiões traseiras, nas patas e nas orelhas. Por isso, a técnica consiste em enrolar o cachorro com uma faixa para estimular a circulação sanguínea nas regiões extremas do corpo e com isso reduzindo sua irritabilidade. 

O ato de “enrolar” o cachorro reverbera no sistema nervoso dele, que recebe a informação sensitiva, envia ao cérebro e o deixa mais calmo, visto que essa pequena pressão ativa seu sistema nervoso autônomo. Conforme o corpo sente a pressão das faixas, sua psique e tronco entram em harmonia, fazendo com que o cão se sinta mais seguro e possa enfrentar momentos que lhe causavam medo.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Edição: Virgiane Passos
Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário