Passagem Franca: MPPI investiga se secretária de Saúde furou fila de vacinação

Segundo o MPPI, a secretária teria sido vacinada no primeiro lote recebido pelo município, aparentemente sem pertencer aos grupos prioritários.

28/01/2021 09:27h - Atualizado em 29/01/2021 10:58h

Compartilhar no

O Ministério Público do Piauí, por meio da Promotoria de Justiça de Barro Duro, instaurou procedimento para apurar se a atual secretária de Saúde de Passagem Franca do Piauí, que não teve a identidade divulgada, desrespeitou a ordem de prioridade na vacinação contra o novo coronavírus. Segundo o MPPI, a secretária teria sido vacinada no primeiro lote recebido pelo município, aparentemente sem pertencer aos grupos prioritários.

Foto: Arquivo O Dia

Nesta primeira fase de vacinação, apenas podem ser imunizados profissionais da saúde, que estejam no enfrentamento direto da Covid-19; idosos a partir de 75 anos; idosos a partir de 60 anos, que vivam em instituições de longa permanência e indígenas aldeados.

Agentes públicos que “furam a fila” de vacinação podem ser responsabilizados criminalmente, por ato de improbidade administrativa e compelidos à reparação por dano moral coletivo.

Foi expedido ao Prefeito de Passagem Franca do Piauí, Saulo Trajano, ofício para que preste esclarecimentos sobre o caso, em até 48 horas.

Outros municípios do Piauí também estão sendo investigados por irregularidades na vacinação. No município de Uruçuí, o prefeito Dr. Wagner Coelho, foi a primeira pessoa da cidade a receber a vacina. Aos 74 anos, ele é médico, mas não atua na linha de frente do combate a pandemia. Caso parecido com o registrado em Guaribas, onde o prefeito Joercio Andrade foi o vacinado e gerou polêmica, ele é agricultor e tem 40 anos de idade.


É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário