Piauí é o 2º estado do país onde os casamentos mais duram; Rio Grande do Sul é o 1º

Segundo levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os matrimônios no Piauí duram cerca de 16 anos,

18/02/2022 14:02h

Compartilhar no

O Piauí é o segundo estado do país onde os casamentos mais duram. Segundo levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), os matrimônios no Piauí duram cerca de 16 anos, ficando atrás somente do Rio Grande do Sul, onde a média de duração é de 16,1 anos. 

No Brasil, a duração média dos matrimônios registrou queda: entre 2010 e 2020, o indicador reduziu 16,3%. Já no Piauí, em uma década, o tempo médio de duração dos casamentos reduziu 17,5%. 

(Foto: Reprodução/Pixabay)

Já o estado onde os divórcios acontecem mais rápido é o Acre: lá, a média caiu de 14,5 anos em 2010 para 9,2 anos em 2020. A diminuição do indicador do Acre foi a maior do país no período, com taxa de redução de 36,4%.

Número de divórcios registra queda no Piauí 

O número de divórcios no Piauí vem apresentando queda ano a ano desde 2016. É o que mostram os dados das Estatísticas do Registro Civil 2020, compilados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). No ano de 2020, foram registrados 1.551 divórcios no estado do Piauí, cerca de 21,2% a menos que em 2019.

“Essa queda expressiva pode ser explicada pelas dificuldades na coleta dos dados por causa do sistema de trabalho remoto adotado durante a pandemia. Também não há certeza de que a produção de sentenças dentro das varas continuou a mesma com o isolamento social. Muitos processos podem ter sofrido atrasos nesse período, o que pode ter ajudado a reduzir o número de divórcios em 2020. Foi um ano atípico.”, diz a gerente das Estatísticas do Registro Civil, Klívia Brayner. As dificuldades na coleta também justificam o adiamento da divulgação dos dados relativos aos divórcios, como foi explicado pelo IBGE em nota técnica publicada hoje.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Fonte: Com informações do IBGE

Deixe seu comentário