Piauí é o Estado mais homofóbico do Brasil neste ano, aponta relatório

Já foram registradas 11 denúncias de agressões a gays, lésbicas, bissexuais, travestis ou transexuais de janeiro a abril

08/07/2016 16:34h

Compartilhar no

Um relatório do Disque 100 coloca o Piauí entre os estados mais homofóbicos do Brasil neste ano, considerando a proporção de denúncias por número de habitantes. De acordo com o levantamento, já foram registradas 11 denúncias de agressões a gays, lésbicas, bissexuais, travestis ou transexuais de janeiro a abril, o que corresponde a uma taxa de 0,35 para cada 100 mil habitantes, acima da média nacional de 0,22.

No ano de 2015, o Piauí ficou em quinto lugar no ranking dos mais homofóbicos, embora a taxa registrada tenha sido maior: 0,93 para cada 100 mil habitantes. Foram registradas 29 denúncias no Disque 100. Os dados, entretanto, mostram que houve redução de 23,68% em relação ao ano de 2014, quando houve 38 denúncias no Piauí.


Veja o relatório completo 

Nos dois últimos anos do levantamento, a violência psicológica e a discriminação foram os principais tipos de violência denunciados, mas também há casos de exploração sexual e violência física, representada por denúncias de cárcere privado, lesão corporal, maus tratos e até homicídio.

A violência psicológica se manifestou através de ameaças, calúnia, injúria ou difamação, chantagem, hostilização, humilhação e perseguição a gays, lésbicas, bissexuais, travestis ou transexuais.

O relatório também traçou o perfil das vítimas e dos suspeitos de praticar os diversos tipos de agressão aos LGBTs no Piauí. As vítimas geralmente têm o sexo biológico masculino, são travestis com idade entre 18 e 24 anos, de cor parda ou negra. Os agressores são a maioria homens, brancos, das mais variadas idades. Geralmente são desconhecidos ou vizinhos das vítimas.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Nayara Felizardo

Deixe seu comentário