Piauí gerou 845 vagas formais de emprego em março, aponta Caged

Setor de administração pública, defesa, seguridade social e educação foi o que mais contratou.

02/05/2022 09:58h - Atualizado em 02/05/2022 10:08h

Compartilhar no

O Piauí gerou 845 vagas de emprego durante o mês de março. É o que apontam os dados do Caged (Cadastro Geral de Empregados e Desempregados), divulgado pelo Ministério do Trabalho e Previdência Social. Ao todo, no terceiro mês do ano o Estado contratou 10.319, mas demitiu 9.474. No acumulado do ano, o Piauí preencheu 30.789 vagas formais de emprego, mas dispensou 28.856 trabalhadores. Foram 1.933 postos de trabalho criados no Piauí entre janeiro e março.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Em comparação com fevereiro, o saldo de geração de emprego do Piauí em março caiu em 51%. No segundo mês do ano, o Estado tinha gerado 1.744 vagas formais no mercado de trabalho. A maior parte delas no setor de serviços, que havia contratado 895 pessoas.

Em março, o setor que mais contratou profissionais no Piauí foi o de serviços, com 562 admissões. A maior parte delas foi para o subsetor da administração pública, defesa e seguridade social, educação, saúde humana e serviços sociais, que admitiu 236 trabalhadores. Dentro deste subsetor, a Educação respondeu por 270 contratações, mas o número não se tornou expressivamente positivo por conta das 40 demissões registradas na área da saúde humana e serviços sociais.


O setor do comércio teve perdas de trabalhadores - Foto: Assis Fernandes/O Dia

Em segundo lugar na geração de empregos aparece o subsetor da informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, com 233 admissões.

Um índice que chamou a atenção no mês de março no Piauí foi o da geração de emprego no setor do comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, que teve uma perda de 320 trabalhadores. Neste setor, o Piauí seguiu uma tendência entre os estados do Nordeste: Maranhão, Ceará, Paraíba, Bahia e Pernambuco também registraram perdas profissionais no comércio. Somente Rio Grande do Norte, Alagoas e Sergipe tiveram saldo positivo de geração de emprego neste setor econômico.


Foto: Assis Fernandes/O Dia

Brasil também teve saldo positivo

Os dados do Caged apontam que o Piauí seguiu a tendência nacional de geração de emprego, mesmo tendo mantido ou criado menos vagas em março em relação aos meses anteriores. No primeiro trimestre de 2022, o Brasil teve saldo positivo de 615.173 vagas de emprego com carteira assinada. 

O setor de serviços foi o grande destaque do mês de março com geração de 115.513 novos postos de trabalho formais distribuídos principalmente nas atividades de informação, comunicação e atividades financeiras, imobiliárias, profissionais e administrativas, que gerou 39.675 vagas.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no

Deixe seu comentário