Piauienses registram passagem de foguete chinês com destino à Lua

A luz brilhante corou o céu lentamente e chamou atenção de milhares de pessoas no Nordeste e Centro-Oeste brasileiro

24/11/2020 09:08h - Atualizado em 24/11/2020 11:06h

Compartilhar no

Uma luz brilhante que percorreu o céu em vários Estados brasileiros na noite dessa segunda-feira (23), chamou atenção de milhares de pessoas. Vídeos e fotos circularam nas redes sociais e mostra um facho de luz branca cortando o céu lentamente.

(Foto: Gabriel Ermano/Divulgação)

Algumas pessoas chegaram a insinuar que o fenômeno tratava-se de um OVNI (objeto voador não identificado), outros acreditavam ser um balão e até um drone. O professor de Física, do Instituto Federal do Piauí (IFPI), Ayrton Vasconcelos, afirmou se tratar de uma nave chinesa com destina à Lua. “Essa é realmente uma espaçonave, mas da China e não de extraterrestres”, brincou o professor.

O foguete chinês chama-se Long March 5 e estava levando a sonda Chang’ e-5. Ele foi lançado com o objetivo de coletar material na Lua para estudos. “Há mais de 40 anos que eles não mandavam espaçonaves para a lá. A China está avançando bastante nessa parte de astronomia e enviou esse foguete para lá na tentativa de montar uma estação orbital nos próximos anos”, comentou o professor de Física.


A espaçonave foi lançada próximo à Linha do Equador, e, por ser próxima ao Brasil, o objeto pode ser visto com mais ênfase em estados nordestinos, como Piauí, Ceará, Bahia, Paraíba, e estados do Centro-Oeste. Nas imagens, é possível ver o foguete entre outros dois pontos brilhantes, que tratam-se de Júpiter e Saturno.

“Normalmente esses lançamentos são feitos próximo à Linha do Equador, por questões econômicas, já que são feitos menos esforços devido à rotação da Terra, pois é aproveitada a velocidade do planeta para que ajude no lançamento. Nós, do Piauí, fomos os mais privilegiados para essa observação”, completou o professor Ayrton Vasconcelos.

É permitida a reprodução deste conteúdo (matéria) desde que um link seja apontado para a fonte!

Compartilhar no
Por: Isabela Lopes

Deixe seu comentário